Possível saída de Pato e futuro incerto de Osorio ligam alerta no São Paulo.

58

GloboEsporte.com

Marcelo Hazan e Marcelo Prado

Rival Corinthians tenta negociar nos últimos dias da janela atacante destaque do Tricolor no ano e jogador preferido do técnico, que admite sair para treinar seleção.

Alexandre Pato Osorio São Paulo (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

Alexandre Pato e Osorio, em treino do São Paulo (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

A diretoria do São Paulo entrou em alerta após a última entrevista do técnico Juan Carlos Osorio. O desabafo do treinador, crítico com o elenco reduzido e os inúmeros palpites dados no clube, escancarou a possibilidade de ele deixar o Tricolor em caso de uma oferta para trabalhar em uma seleção na Copa do Mundo – a do México se interessou recentemente.

As palavras dele diferem do panorama demonstrado pelo vice-presidente de futebol, Ataíde Gil Guerreiro. O que pode complicar ainda mais a situação é a possível venda de Alexandre Pato, emprestado pelo rival Corinthians, em conversas avançadas para vendê-lo.

O Tottenham, da Inglaterra, é o principal interessado – informação que não foi negada por Gilmar Veloz, empresário de Pato. Os valores giram em torno de 11 milhões de euros (R$ 44 milhões pela cotação atual, o que superaria os R$ 40 milhões pagos para o Milan, em 2013).

O clube do Parque São Jorge tenta negociar o atacante até segunda-feira, quando se fecha a janela de transferências para a Europa (ou até terça, no caso do futebol inglês). No Tricolor, a notícia sobre a possível transferência foi encarada com desconfiança e tentativa de “tumultuar o ambiente”.

De qualquer forma, a possível saída de Pato seria um “golpe baixo” para Osorio, pois deixaria o colombiano sem o seu principal jogador e artilheiro do time na temporada, com 21 gols, melhor número na carreira do atleta.

Atacante e técnico mantêm ótima relação e trocam elogios públicos. Posicionado aberto pela esquerda após conversa com Osorio, o jogador cresceu de produção. Durante as partidas do São Paulo, o colombiano orienta e incentiva constantemente “Alexander”, forma como chama o atacante comparado a astros como Di Maria, Robben e Ribéry.

O São Paulo, por contrato, tem a opção de igualar qualquer oferta recebida pelo Corinthians, mas o clube avisou recentemente não ter dinheiro para isso. Perder Pato significaria abdicar da luta pelas primeiras colocações do Campeonato Brasileiro e do título da Copa do Brasil, o que poderia acelerar a saída do treinador.

– Quando alguém pergunta para mim se meu futuro está no São Paulo, eu contesto. O futebol no Brasil é de resultados. Trato de trabalhar a cada dia como se fosse o último. Mas sempre tenho 100% de comprometimento. Mas é uma situação que não me preocupa. O que me preocupa é a saúde dos meus pais na Colômbia. O futuro profissional eu não sei o que vai acontecer – afirmou Osorio, em sua última entrevista.

Constantemente Osorio lamenta as saídas dos oito jogadores negociados: Paulo Miranda, Dória, Souza, Denilson, Rafael Toloi, Boschilia, Jonathan Cafu e Ewandro. Só no setor defensivo, ele perdeu cinco peças.

Após o jogo contra a Ponte Preta, neste sábado, no Morumbi, a equipe terá Joinville, Internacional e Santos pela frente e os problemas serão ainda maiores. Rodrigo Caio estará servindo a seleção brasileira olímpica, e Lucão foi cortado por conta de um trauma no tendão do calcanhar do pé direito.

Dessa maneira, Osorio teria três opções para o setor defensivo: Lyanco, Luiz Eduardo e Edson Silva – o clube estuda a contratação do zagueiro Léo, do Cruzeiro. A única boa notícia para Osorio no momento foi a confirmação da permanência de Auro. Com os problemas aumentando a cada dia, a saída de Pato poderia ser a gota d’água para o colombiano.