Oposição do SP tenta adiar eleição. Leco vê tentativa de tumultuar

47

Danilo Lavieri e Guilherme Palenzuela
Do UOL, em São Paulo

  • Newton Luiz Ferreira oficializa candidatura à presidência do São Paulo

    Newton Luiz Ferreira oficializa candidatura à presidência do São Paulo

A oposição do São Paulo, liderada pelo candidato Newton Ferreira, vai tentar adiar a data da eleição presidencial do clube, marcada para o dia 27 de outubro. A ideia é que a votação ocorra apenas no dia 12 de novembro, um mês após a renúncia de Carlos Miguel Aidar.

Com o argumento de é necessária uma convenção da oposição, o conselheiro afirma que vê com os advogados a chance de mudar o pleito e coloca a possibilidade, inclusive, de abrir mão de sua candidatura.

“Estou analisando com os meus advogados. O estatuto tem alguns prazos, como 30 dias após a renúncia, oito dias para a publicação da reunião e cinco depois de apresentar as propostas. Eu acredito que o Leco legislou em causa própria marcando a reunião em 13 dias e não deu tempo para o Conselho se articular para viabilizar outras candidaturas”, afirmou Newton ao UOL Esporte.

Publicidade

Newton admite deixar a candidatura para que outro conselheiro vá para a concorrência. Ele ainda afirma que um prazo maior aumenta a chance da oposição vencer.

“Eu sou o candidato de representação da oposição, mas o processo normal do São Paulo é que tudo seja feito em convenção e é assim que queremos fazer. Se meus companheiros quiserem, eu abro mão para que algum outro nome assuma. Não somos candidatura de protesto, queremos ganhar”, completou.

Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, que acumula os cargos de presidente interino e do Conselho Deliberativo, afirma que a tentativa é apenas uma tentativa de tumulto.

De acordo com ele, todas as medidas foram tomadas de acordo com o estatuto e não há a menor chance de o pleito não ser realizado no dia 27.

“Não tem como isso não acontecer. Nada disso se sustenta. O estatuto pede 30 dias de prazo e não que eu convoque a eleição para o 30º dia. O São Paulo não pode viver uma situação de improviso, precisa ter um presidente instalado de fato. A administração exige isso. Eu não fiz nada porque é vantagem para mim. Ele (Newton) quer é uma tentativa de tumultuar. Isso não me preocupa. Absolutamente”, destacou.

“Eu estou respeitando o estatuto. E não quero ser presidente interino. Quero ser o presidente de fato do São Paulo”, cravou.

1 COMENTÁRIO

  1. Infelzmente o nosso Grande Trcolor chegou no fundo do poço, está nas mãos de gente que só quer tirar vantagens, sai Juvenal entra Aidar, Sai Aidar entra Leco, é tudo lixo do mesmo saco. Quando falam em colocar o Abiilio Diniz como conselheiro e para fazer auditoria eles tratam de afasta-lo porque sabem que a mamata e ganho facil vai acabar. Quem quis peitar e bater de frente com eles para desmascarar foram dispensados imediatamente para nao criar problemas: Zé Sergio e Renê Simões.