Inspiração de Ceni ‘cava’ lugar em despedida e quer vestir camisa favorita do são-paulino

54

ESPN.com.br

Gustavo Setti e Patrick Mesquita

Reprodução

Navarro Montoya hoje é técnico na Espanha
Navarro Montoya defendeu o Boca Juniors e hoje é técnico na Espanha 

As camisas estampadas utilizadas por Rogério Ceni no início dos anos 2000 não foram idealizadas “do nada”. Na verdade, todos os modelos utilizados naquela época foram em homenagem a Navarro Montoya, colombiano naturalizado argentino que foi ídolo do Boca Juniors na década de 90.

O agora ex-goleiro ficou conhecido por usar uniformes estilizados na Argentina. Fã assumido do estilo de jogo Navarro, Ceni passou a vestir camisas desenhadas. A primeira foi a dirigindo um caminhão – favorita do arqueiro são-paulino e cópia perfeita da que o ídolo argentino atuou durante anos-, pilotando avião e até mesmo em um trem.

Com o passar dos anos, Navarro também passou a admirar o fã. O carinho mútuo é tanto, que o argentino gostaria de ser convidado para a festa no Morumbi. Para homenagear Ceni, o ex-goleiro pensa até na chance de jogar com a camisa predileta de Rogério.

Reprodução

Navarro Montoya com uma das camisas que serviram de inspiração para Ceni
Navarro com uma das camisas estampadas  

“Para mim seria uma honra jogar a última partida do Rogério e ainda utilizar a camiseta que ele tanto gostou. Seria um prazer se o Rogério jogasse a última partida com essas camisas. Para mim, seria especial”, afirma Navarro em entrevista ao ESPN.com.br.

Atualmente morando na Espanha, o argentino diz que se sente honrado toda vez que lembra ter sido inspiração para Ceni.

“Eu sabia (que ele se inspirou e mim), porque ele comentou muitas vezes. É um orgulho que o goleiro mais artilheiro da historia me tem como inspiração. Não só pelas camisetas, mas pelo meu jogo. Isso para mim é um orgulho”, disse.

Navarro lembra com carinho da primeira vez que trocou camisas com Rogério Ceni. O Boca Juniors recebeu o São Paulo em Buenos Aires pela Supercopa de 1995, torneio que reunia campeões da Libertadores. Ainda reserva de Zetti, o agora ídolo tricolor foi até o goleiro argentino no final do jogo, vencido pelos brasileiros por 3 a 2, pedir o uniforme como recordação e deixou o estádio feliz por ter sido presenteado pela maior inspiração no gol.

Getty

Rogério Ceni usou camisa pilotando avião na final do Paulistão, em 2000
 Ceni usou camisa pilotando avião em 2000

“Foi um orgulho. O Rogério, em uma partida em Buenos Aires, entre Boca Juniors e São Paulo, ele era reserva do Zetti. e o fim da partida eu dei a camiseta para ele. Para mim, ele é um exemplo”, lembra.

Desde que terminou a carreira, Navarro Montoya se dedicou a outras atividades, como comentarista de rádio, até virar técnico, uma função que Ceni já demonstrou interesse em seguir quando deixar os gramados. O argentino ainda não teve a chance em um clube grande e dedica boa parte do tempo ao estudo, mas sonha em um dia ser treinador do Boca.

“Estou terminando o curso de treinador na Europa. Estou vendo algumas possibilidades, até algumas na Argentina. Gostaria do Boca Juniors, seria o máximo para mim”, completa.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor entre com seu comentário!
Entre seu nome aqui

7 + dezoito =