Vaga no G-4 compensa ano de decepções: veja balanço do São Paulo

74

GloboEsporte.com – Marcelo Hazan e Marcelo Prado

O excesso de erros se refletiu dentro de campo. Dos 10 reforços contratados, apenas dois se destacaram: Breno, que terminou o ano machucado, e Thiago Mendes, considerado o principal jogador da equipe em enquete realizada pelo GloboEsporte.com.

Entre os figurões, Ceni marcou oito gols gols, mas teve o último ano de sua carreira marcado por lesões. Luis Fabiano foi o vice-artilheiro, com 14, mas não teve sequência na equipe titular e se despediu sem conseguir realizar o sonho de se tornar o maior goleador do clube – ficou 31 atrás de Serginho Chulapa (242 a 212). Alexandre Pato fez 26 gols, mas foi irregular e está voltando para o Corinthians. Michel Bastos entrou em rota de colisão com a torcida, e Paulo Henrique Ganso esteve longe de ser unanimidade.

Abaixo, o GloboEsporte.com faz um análise dos jogadores que terminaram a temporada 2015 no Tricolor. Alguns deles certamente não farão parte do grupo no próximo ano.

GOLEIROS

Rogério Ceni último treino (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)Ceni se aposentou após 25 anos de Sâo Paulo (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)

Rogério Ceni – no seu ano de despedida, o capitão não conseguiu atingir seu principal desejo, que era conquistar um título. Aos 42 anos, disputou 53 jogos e fez oito gols. Na reta final da carreira, foi prejudicado por uma grave lesão no tornozelo direito, que o impediu de se despedir jogando. Ficou 30 dias lutando contra as dores e viu o time conseguir a vaga na Libertadores das cadeiras numeradas.

Denis – sua temporada resume-se ao segundo semestre, pois no primeiro ficou em recuperação de uma grave lesão no ombro, semelhante à que Rogério Ceni havia sofrido em 2012. Liberado para voltar aos campos em agosto, aproveitou a lesão do titular no final da temporada e ganhou uma sequência de jogos. Em 2016, vai disputar a camisa 1 com Renan Ribeiro.

Renan Ribeiro – também teve chance de ser titular com uma lesão sofrida por Rogério Ceni e foi elogiado. No total, disputou 11 partidas. Na reta final do Brasileiro, viu Denis ser o escolhido para atuar e agora terá de brigar pelo posto.

LATERAIS

Bruno São Paulo (Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net)Bruno interessa do Flamengo, mas deve ficar no São Paulo (Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net)

Bruno – foi um dos que mais jogaram na temporada (esteve presente em 52 jogos dos 70 da equipe), mas seu desempenho não agradou. Contratado no começo do ano como solução para a posição, teve poucos momentos de bom futebol. Interessa ao Flamengo, mas deve ficar, já que possui mais um ano de contrato.

Carlinhos – sofreu com muitas lesões e só atuou em 32 das 70 partidas da equipe na temporada. O melhor momento foi fora de sua posição, lateral-esquerdo: teve boas atuações atuando como meia, sob o comando de Juan Carlos Osorio. É criticado pela torcida.

Auro – promessa da base, teve um ano para esquecer no São Paulo. Foi tão pouco utilizado que no meio do ano chegou a estudar uma proposta para se transferir para o Estoril, de Portugal. Ficou após uma conversa com Osorio, mas a situação não mudou. Tem vínculo até 2019, mas deverá jogar em outra equipe na próxima temporada.

Reinaldo São Paulo (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)Reinaldo é criticado pela torcida e pode ser negociado (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

Reinaldo – é o jogador mais criticado pela torcida do São Paulo. Apesar de mostrar muita vontade e se machucar pouco (atuou em 46 jogos dos 70 da temporada), o defensor não conseguiu ter tranquilidade para atuar em nenhum momento. Tem ótimo ambiente dentro do elenco, mas sofre resistência da torcida e pode ser um dos dispensados.

Matheus Reis – após se destacar na Copa São Paulo de Futebol Júnior, foi promovido ao time profissional pelo auxiliar Milton Cruz, pouco tempo após a saída de Muricy Ramalho, no primeiro semestre. Ganhou oportunidades no Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil e mostrou qualidade. Continuará sendo utilizado na próxima temporada.

ZAGUEIROS

Lucão São Paulo (Foto: Site oficial do São Paulo FC)Lucão não teve bom desempenho na reta final do Brasileirão (Foto: Site oficial do São Paulo FC)

Lucão – teve uma temporada de altos e baixos. Cria de Cotia, virou titular da defesa quando Dória não teve seu empréstimo renovado. Jogou bem sob comando de Juan Carlos Osorio, mas apresentou queda técnica acentuada após a saída do colombiano. Foi um dos jogadores mais criticados pela torcida após a goelada de 6 a 1 para o Corinthians.

Rodrigo Caio – apesar de também ser volante, teve seus melhores momentos jogando pelo lado direito da zaga. Depois de se recuperar de grave lesão no joelho, chegou a ser vendido para o Valencia, mas não ficou porque divergências contratuais. Voltou e se tornou um dos pontos fortes da equipe, ganhando aplausos do torcedor são-paulino.

Edson Silva – longe de ser o zagueiro dos sonhos da torcida são-paulina, foi pouco utilizado pelos treinadores que passaram pelo clube no ano. Seu contrato termina no dia 31 de dezembro e não será renovado.

Breno São Paulo (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)Breno reestreou com a camisa tricolor e foi muito elogiado (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)

Breno – após passar três anos preso por incendiar a própria casa quando morava em Munique, na Alemanha, recomeçou a carreira na pré-temporada e reestreou com a camisa tricolor no empate por 1 a 1 com o Corinthians, no primeiro turno do Brasileirão. Foi escalado por Juan Carlos Osorio como volante. Fez um gol contra o Avaí e depois sofreu lesão no joelho que o fez perder o restante do Brasileirão. A esperança da diretoria é que Breno seja uma das peças mais importantes na temporada 2016.

Luiz Eduardo – contratado no meio do ano para suprir as saídas de Paulo Miranda e Dória, começou bem sob comando de  Osorio. Mas após a saída do colombiano, se perdeu completamente. Com Doriva, teve péssimas atuações. Na sequência, sofreu uma lesão no joelho, foi operado e, como Breno, não retornou. Não deve ter contrato renovado para a próxima temporada.

Lyanco – revelado pelo Botafogo, chegou no começo do ano para reforçar a base, mas chamou a atenção de Juan Carlos Osorio e foi promovido ao profissional. Com apenas 18 anos, tem potencial a ser explorado. Possui facilidade para jogar em várias posições: foi uitlizado como zagueiro, lateral-direito e volante no Brasileirão.

VOLANTES

Thiago Mendes Sâo Paulo (Foto: Site oficial do SPFC)Thiago Mendes foi eleito o melhor jogador tricolor em enquete (Foto: Site oficial do SPFC)

Thiago Mendes – o maior destaque do São Paulo em 2015. Vindo do Goiás, o volante começou o ano jogando fora de sua posição com Muricy Ramalho. Ganhou espaço no meio-campo após as saídas de Souza e Denilson e virou o motor da equipe. Disputou 56 jogos e marcou gols importantes, como o da vitória sobre o Figueirense.

Wesley – uma das contratações mais questionadas do São Paulo. Sua chegada piorou o clima entre Carlos Miguel Aidar, ex-presidente tricolor, e Paulo Nobre, mandatário do Palmeiras, que reclamou do assédio sobre o jogador. Teve poucas atuações de destaque. Bastava o time perder jogos importantes para meio-campista sofrer com questionamentos da torcida. Em 2016, com as saídas de Luis Fabiano e Ceni, será um dos maiores salários do elenco. O que só aumentará a pressão.

Hudson – embora tenha terminado o ano como titular, passou a maior parte de 2015 na reserva. Seu desempenho não foi bom, tecnicamente deixou a desejar, mas é elogiado pelo torcedor são-paulino por mostrar uma postura comprometida. Tem permanência assegurada para a próxima temporada.

João Schmidt – voltou ao São Paulo no meio do ano após um período de empréstimo ao Vitoria de Setúbal, de Portugal, e praticamente não foi notado na equipe do Morumbi. Foi utilizado em alguns jogos por Juan Carlos Osorio, mas em muitos sequer foi relacionado. Pode respirar novos ares em 2016.

MEIAS

Michel Bastos, São Paulo (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)Michel Bastos termina o ano em baixa no São Paulo (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

Michel Bastos – no primeiro semestre, era uma das referências da equipe, marcava gols e era aplaudido pela torcida. A partir do começo de junho, seu futebol caiu muito. Algumas atitudes erradas também chamaram a atenção. Reclamou com palavrões quando foi substituído por Osorio em um jogo, mandou a torcida ficar quieta em outro. Termina o ano em baixa.

Daniel – um dos reforços contratados para a temporada 2015, o ex-meia do Botafogo chegou machucado ao São Paulo e perdeu todo o primeiro semestre. Quando estreou, teve poucas oportunidades. Com contrato até o final de 2017, espera começar uma nova história a partir da próxima temporada.

Ganso - São Paulo (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)Paulo Henrique Ganso foi muito irregular no ano (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)

Paulo Henrique Ganso – pelo terceiro vez consecutiva, Paulo Henrique Ganso termina o ano longe de ser unanimidade. Alternou grandes jogos com apresentações muito ruins. Criticado por não ser combativo, o camisa 10 despertou o interesse de outras equipes e, apesar da diretoria considerá-lo inegociável, pode ser vendido no começo do ano.

Wilder – chegou no segundo semestre por indicação de Osorio e em nenhum momento justificou sua contratação. Com dificuldades de adaptação, ficou vários vezes sem ser relacionado. Pode ser devolvido antes do final do empréstimo, que termina em junho de 2016.

ATACANTES

Alexandre Pato São Paulo treino (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)Alexandre Pato também foi irregular
(Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

Alexandre Pato – irregularidade é a palavra que melhor define seu desempenho na temporada 2015. O camisa 11 alternou grandes atuações com jogos muito ruins. Fisicamente, mostrou estar muito bem, tanto que participou de 62 das 70 partidas da equipe na temporada. No entanto, por causa dos altos e baixos, terminou o ano em baixa com a torcida. Voltará ao Corinthians.

Luis Fabiano – no seu ano de despedida do São Paulo, foi vice-artilheiro da equipe na temporada, com 14 gols, mas sofreu com algumas lesões e não teve o rendimento que esperava. Ganhou sequência a partir de abril, quando Alan Kardec se machucou e, mesmo assim, foi irregular. Tanto que sonhava em ter seu contrato renovado, mas a diretoria, em nenhum momento, pensou nisso.

Alan Kardec São Paulo (Foto: Erico Leonan / site oficial do SPFC)Alan Kardec será o dono da camisa 9 no próximo ano (Foto: Erico Leonan / site oficial do SPFC)

Alan Kardec – teve o ano comprometido por umagrave lesão no joelho direito, sofrida em abril, durante jogo contra o San Lorenzo, pela Libertadores, que o deixou seis meses longe dos gramados. Quando se machucou, era titular. Quando voltou, mesmo na condição de reserva, fez gols e ajudou o time a se classificar à Libertadores.

Centurión – contratação mais cara da história do São Paulo (custou R$ 14 milhões), o argentino não rendeu o que era esperado. Sofreu com problemas pessoais (sua noiva se recupera de um problema grave de saúde) e teve poucas chances como titular. Seu melhor momento foi na Libertadores, quando fez gols contra Danubio e Cruzeiro. Deve ganhar mais espaço em 2016 com as saídas de Pato e Luis Fabiano.

Rogério São Paulo (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)Rogério tem força de vontade e agrada à torcida
(Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

Rogério – foi contratado do Vitória em agosto e chegou com status de “Neymar do Nordeste”. Começou muito bem, sendo destaque na vitória sobre o Internacional. Pode não ter muita qualidade com a bola nos pés, mas compensa com força de vontade, o que o fez ser muito elogiado pelo torcedor são-paulino.

Murilo – cria do CT de Cotia, foi promovido ao time profissional pelo então técnico Juan Carlos Osorio, que ficou impressionado com seu desempenho em um treino da equipe sub-20. Chegou a ser relacionado para alguns jogos, mas não estreou. Perdeu espaço com a saída do colombiano e voltou para a base.

João Paulo – subiu para a equipe de cima após se destacar na Copa São Paulo de Futebol Júnior, mas não conseguiu mostrar serviço. Disputou apenas três jogos no Campeonato Brasileiro, sempre entrando no segundo tempo.

2 COMENTÁRIOS

  1. Perceberam o poder de um ótimo técnico?
    Olhem na matéria:

    – Renan: era titular com Osorio;
    – Carlinhos: “O melhor momento foi fora de sua posição, lateral-esquerdo, teve boas atuações atuando como meia, sob o comando de Juan Carlos Osorio”;
    – Auro: “…uma proposta para se transferir para o Estoril, de Portugal, mas ficou após uma conversa com Osorio”;
    – Lucão: “Jogou bem sob comando de Juan Carlos Osorio, mas apresentou queda técnica acentuada após a saída do colombiano”;
    – Breno: “Foi escalado por Juan Carlos Osorio como volante. Fez um gol contra o Avaí”;
    – Luiz Eduardo: “começou bem sob comando de Osorio. Mas após a saída do colombiano, se perdeu completamente. Com Doriva, teve péssimas atuações”;
    – Lyanco: “chamou a atenção de Juan Carlos Osorio e foi promovido ao profissional”;
    – J. Schmidt: “Foi utilizado em alguns jogos por Juan Carlos Osorio”;
    – Pato: só jogou com Osorio;
    – Murilo: “Perdeu espaço com a saída do colombiano e voltou para a base”;

    Está ai a diferença entre os bons técnicos (Osório, Jubero, Sampaoli, Guardinhola, Mourinho e etc) e os treineiros pré históricos (Muricy, Doriva, Milton Cruz, Dorival J., M. Oliveira, Mano, Autuori e etc): A prova está na prática, quando o técnico era Muricy nunca vimos o T. Mendes e Pato despontar ou subir meninos da base e utilizá-los. Osório fez Lucão e Luiz Eduardo jogar bem (tirou leite de pedra), com sua saída e entrada de Doriva o time virou uma diarréia. Luiz Eduardo nunca mais jogou bem, Lucão entrou em queda livre, esquema tático nunca existiu. E tudo isso continuou com Milton Cruz.

    Ataíde, seu bunda mole, pare de correr atrás de treineiros de merda. Cuca não vem mesmo. Sampaoli a diretoria não tem competência. Nos resta o Fernando Jubero que cabe no orçamento do SP, trabalha bem com a base, entende e é estudioso de futebol, e tem estilo ofensivo de jogo.

    Fernando Jubero já!

  2. O São Paulo precisa contratar jogadores que foram campeões em outras equipes pois só assim o time terá mais personalidade. O que faz uma equipe campeã são jogadores que já tiveram experiência em decisões. O São Paulo atual é formado por bons jogadores, mas sem bagagem em decisões de campeonato. Em 2005, por exemplo, o São Paulo tinha Amoroso e luizão que eram jogadores experientes em decisões. Por isso digo, contratem jogadores que vivenciaram finais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor entre com seu comentário!
Entre seu nome aqui

quatro × três =