Em 20 meses, São Paulo trocou cinco vezes de técnico; Ituano, nenhuma

88

GloboEsporte.com

Emilio Botta

 

Mesmo sem nenhum título conquistado, Tarcísio Pugliese está há mais tempo no comando do Ituano do que Tite no Corinthians. Rotatividade no Tricolor é grande.

Mosaico - Tarcísio Pugliese (Foto: Arte/ TV TEM)

Enquanto Tarcísio Pugliese trabalha há 20 meses no Ituano, São Paulo mudou de treinador cinco vezes

A rotatividade de técnicos no futebol brasileiro não é nenhuma novidade. Adversários pelo Campeonato Paulista no próximo domingo, Ituano e São Paulo parecem ter filosofias distintas quando o assunto é longevidade do trabalho de seus treinadores.

Tarcísio Pugliese, técnico do Ituano, está há mais de 20 meses no cargo. Durante o período, a título de comparação, o São Paulo trocou de comandante cinco vezes. Passaram pelo time do Morumbi, Muricy Ramalho, Milton Cruz, Juan Carlos Osório e Doriva, até a chegada de Edgardo Bauza. O técnico do time de Itu está há mais tempo no cargo, por exemplo, do que Tite, há pouco mais de 15 meses no Corinthians, em sua terceira passagem.

A longevidade de um treinador no comando de uma equipe pode ser creditada ao sucesso e aos títulos conquistados. Porém, nos 20 meses que comanda o Ituano, Tarcísio Pugliese não conquistou um título sequer. O máximo que conseguiu foi o vice-campeonato da Copa Paulista na temporada passada, competição disputada por equipes do interior paulista que não possuem calendário nacional no segundo semestre. Sob comando de Tarcísio, o Ituano acabou eliminado na Copa do Brasil, da Série D do Campeonato Brasileiro, além do Paulistão.

 

Gestor do Ituano e ex-jogador do São Paulo, Juninho Paulista é o responsável pela manutenção do treinador. Em diversas oportunidades, torcedores pediram a demissão do comandante, mas Juninho optou pela continuidade do trabalho. Na avaliação do ex-jogador, é preciso uma sequência para que o resultado a longo prazo apareça, assim como fazia o São Paulo no passado.

– A inconstância é prejudicial. Você tem que escolher bem o treinador e dar o tempo de trabalho para ele. Claro que a pressão no São Paulo é diferente, mas quanto mais longo o tempo de trabalho de um treinador, maior a chance de sucesso. O próprio São Paulo era exemplo disso – analisa o ex-meia, pentacampeão com a seleção brasileira em 2002.

No período em que trocou cinco vezes de comandante, o São Paulo também não conquistou nenhum título. Porém, disputou a Libertadores da América e obteve o quarto lugar no último Campeonato Brasileiro. Apesar da constante troca de treinadores, o time do Morumbi pode orgulhar-se de não ter tido passado por grandes turbulências dentro das competições que disputou.

Se as escolhas de Ituano e São Paulo estão certas ou erradas, apenas o jogo deste domingo e o restante da temporada poderão responder. Os dois times se enfrentam neste domingo, às 16h, no estádio Novelli Júnior, em Itu, pela décima rodada do Campeonato Paulista.

Juninho Paulista, gestor do Ituano (Foto: Emilio Botta)Juninho Paulista, gestor do Ituano, não tem filosofia de mandar treinadores embora (Foto: Emilio Botta)