Petros é apresentado e veste a camisa 6

452

Novo reforço do Tricolor para a sequência do Campeonato Brasileiro de 2017, o meio-campista Petros foi apresentado nesta quinta-feira (29) e concedeu coletiva de imprensa no CT da Barra Funda. O jogador, que estava no Betis-ESP, recebeu as boas-vindas do diretor executivo de futebol Vinicius Pinotti e vestiu a camisa 6.

“Estou aqui para apresentar o Petros, que é um grande reforço, jogador de muita qualidade, voluntarioso e que chega para reforçar o nosso elenco. Seja bem-vindo”, afirmou o dirigente são-paulino, que entregou o manto tricolor ao volante de 28 anos. No atendimento aos jornalistas, o jogador falou sobre o novo desafio na carreira neste retorno ao futebol brasileiro.

“Chego como um tricolor que vai ajudar muito com determinação e foco. Chego com uma responsabilidade muito grande, mas também no melhor momento da minha carreira profissional. Isso me dá suporte para fazer meu melhor. Serei um cara que vai dar a vida por esse projeto. Sou um cara que aceito desafios. A decisão foi completamente minha de retornar ao Brasil, porque gostei do projeto do São Paulo”, disse o atleta, que emendou.

“Agradeço ao Betis, mas queria um novo desafio. Estou confiante de que vamos conseguir dar um salto muito grande. Existiram outras propostas importantes, mas tomei a decisão com o meu coração. Não tenho medo de mudar. Estou feliz, minha família está feliz e não vejo a hora de ajudar. O São Paulo tem jogadores muito bons. Os reforços vão chegar para ajudar com muito empenho e dedicação, e o clube vai brigar nas cabeças”, acrescentou.

Campeão brasileiro em 2015, Petros despertou o interesse do Betis e seguiu para a Espanha. No futebol europeu, o meio-campista se firmou na equipe com a constante pressão na marcação. As estatísticas, aliás, comprovaram a eficiência nos desarmes: o volante esteve entre os maiores ladrões de bolas do Campeonato Espanhol nas duas últimas temporadas: média de 3,4 desarmes por partida. Em 2016/17, o volante disputou 30 das 38 rodadas do torneio nacional, sendo titular em 27.

“Quando falo do meu melhor momento, digo por mim, porque sou um cara exigente. Há quatro anos venho numa crescente. Estava estabilizado na Espanha e com a vida formada. Penso que depois de jogar duas temporadas lá, sou uma pessoa mais madura, melhor como ser humano. Tenho qualidade, técnica e posso ajudar. O São Paulo é um clube mega campeão, o campeonato acabou de começar, então dá para reagir e subir na tabela”, completou Petros, que retorna ao país mais experiente e pronto para ser uma das referências do elenco.

“Vi a entrevista do Araruna, fiquei feliz porque também tenho minhas referências. Na nossa profissão, tem que se dar muito valor, tem que trabalhar, a família depende da nossa profissão. O que posso passar para ele é que meu trabalho é sagrado, vivo para isso. Ele vai ver um cara lutando por cada bola como se fosse a última. Todos me receberam muito bem, muito melhor do que esperava. É uma profissão, a gente chega para somar. O merecimento leva você a jogar ou não. A minha chegada não diz que sou melhor que ninguém. Tenho que provar”, finalizou.