Raí se vê preparado para cargo e diz não temer se queimar no São Paulo

381

GazetaEsportiva.net

José Victor Ligero

Raí se vê preparado para cargo e diz não temer se queimar no São Paulo.

 

Raí acumula um total de nove títulos como jogador do São Paulo (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

Durante a sua primeira entrevista coletiva como diretor-executivo de futebol do São Paulo, Raí tranquilizou a torcida e garantiu estar preparado para ocupar o cargo. O ex-jogador ainda tratou de desvincular a sua primeira passagem como dirigente do clube, em 2002, quando foi coordenador de futebol por três meses na gestão de Marcelo Portugal Gouvêa, do desafio de 15 anos depois.

Publicidade

“Foi uma situação bem diferente daquela época para esta. Estou acreditando muito neste momento novo do São Paulo, novo estatuto, busca por profissionalização, represento esse caminho. Em 2002, assumi e não tinha uma função definida. Muito diferente da situação de agora. Hoje está claro o que vou fazer e as ideias que vou colocar em prática”, afirmou Raí, na última sexta-feira.

Para assumir o departamento de futebol, Raí teve de deixar de ser membro do Conselho de Administração. Após sete meses de trabalho, o agora dirigente acredita que o clube tomou o rumo certo, diferentemente de 2002, quando alegou “amadorismo” da administração da época.

“O que peguei nesse período no Conselho foi uma fase de transição para o profissionalismo e avaliação de erros que foram cometidos. Acredito que o São Paulo está no caminho certo. Essa busca pela profissionalização faz com que acreditemos num futuro diferente, pensando em novamente ser um clube inovador e pioneiro”, prosseguiu.

O ídolo tricolor virou o homem forte do futebol credenciado pelo Mestrado Executivo da Uefa para Jogadores Internacionais, concluído no meio de 2017. Além disso, Raí garante ter acumulado experiências administrativas no ramo do futebol ao longo dos últimos anos.

“Acabei minha carreira em 2000 e, desde então, acompanho sempre o futebol, minha rede de relacionamentos é do meio esportivo. Ao mesmo tempo, tive várias experiências de empreendedorismo empresarial, todas elas bem-sucedidas, o que me trouxe um aprendizado muito grande. Tive bastante resultados em todas as minhas iniciativas e não acho que será diferente aqui”, contou, confiante.

Por fim, Raí diz não temer ter sua imagem arranhada no clube do qual é ídolo. Ciente do recente fracasso de Rogério Ceni como técnico do São Paulo e dos riscos de passar a receber críticas da torcida, o ex-atacante se motiva com o novo desafio.

“Estou com 52 anos, sei dos riscos, o futebol tem grande repercussão, mas estou confiante. São novos desafios que decidi encarar. O que mais vai importar é o São Paulo, sei da minha capacidade e o que posso agregar para que o futuro seja vitorioso”, bradou.

 

1 COMENTÁRIO