Há três meses no São Paulo, Aguirre admite: “Parece muito mais tempo”

GazetaEsportiva.net

Tiago Salazar

No dia dos namorados, o São Paulo deu um presente ao seu torcedor com o triunfo por 3 a 0 em cima do Vitória, no Morumbi. O clube, assim, se garante no G4 durante a pausa para a Copa do Mundo, podendo passar o período na vice-liderança, a três pontos do Flamengo, dependente dos resultados dos jogos de Atlético-MG e dos próprios cariocas.

O momento é inegavelmente favorável, são três partidas de invencibilidade e uma forma de jogar definida, já com a cara do técnico Diego Aguirre, que depois das eliminações no Campeonato Paulista e na Copa do Brasil, ambas pouco após assumir o cargo, agora vai mostrando trabalho. Nessa terça, o treinador completou exatos três meses de sua apresentação, mas a sensação do uruguaio ultrapassa a marca.

“No momento difícil de jogo, onde nós não estávamos pegando muito na bola, apareceu o lance do Nenê e ficamos com um homem a mais. Ganhamos merecidamente. Depois do que aconteceu, tenho falado que parece muito mais tempo e faz somente três meses que eu assinei contrato com o São Paulo. As expectativas sempre foram altas. Em um time como o São Paulo você precisa pensar em coisas importantes”, comentou Aguirre, com ar de satisfação pessoal, mas sem cometer qualquer deselegância com seu antecessor, Dorival Júnior.

 

“Eu não vou falar do São Paulo antes do que eu estive aqui. Não posso fazer análise só por ter visto só três ou quatro jogos, e não me importa o que aconteceu. E tudo isso é mérito deles (jogadores). Nós tentamos organizar, motivá-los, mas os méritos são deles. Mesmo assim, ainda temos muito para melhorar”.

À frente do São Paulo, Diego Aguirre soma 19 jogos. São oito vitórias, sete empates e quatro derrotas. No Morumbi, o técnico nunca perdeu. Foram sete vitórias e três empates na casa tricolor.

“Quando começamos aqui já estávamos em mata-mata, decisões, não tivemos praticamente um momento para trabalhar com tranquilidade, e sempre com a pressão de jogar, ganhar, melhorar… Então, parece mais tempo (de convívio), porque são muitos jogos, parece que estou há mais tempo no clube”, explicou.

O comandante são-paulino também evitou ficar se lamentando por causa da parada de 34 dias em função da Copa do Mundo. Embalado, o Tricolor Paulista, assim como os demais clubes, entrará em um período de intertemporada antes do encontro com o Flamengo, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro, só em 18 de julho.

“(A parada) é boa. É o que temos, então, tenho de pensar que é boa”, resumiu.

Comentários Facebook