Filme sobre a história do São Paulo é exibido na capital paulista

UOL

LancePress

  • Rubens Chiri/saopaulofc.net

Em cartaz nos cinemas de 19 cidades do Brasil, o filme ‘Onde a Moeda cai em Pé: a história do São Paulo Futebol Clube’ teve sua pré-estreia na última terça, no Shopping Eldorado, na zona sul da capital paulista, com a sala completamente lotada. A primeira exibição pública da produção que retrata a trajetória do clube do Morumbi no futebol brasileiro contou com a presença de ídolos do passado e também de são-paulinos ilustres, como o ex-pugilista Eder Jofre e o ator Lima Duarte.

Com pouco menos de duas horas, o filme segue uma ordem cronológica da história do São Paulo, desde a sua fundação até os dias atuais. Nomes como Arthur Friedenreich, Leônidas da Silva e José Poy tiveram suas histórias contadas, assim como os mais recentes ídolos do clube. A produção realizada pelo Canal Azul em parceria com a ESPN será exibida em 20 salas do país, em 19 cidades diferentes espalhadas pelo território nacional.

“O filme que conta história de um clube que envolve tanta paixão é emocionante. Na verdade, é educativo. Eu, que joguei no São Paulo e trabalho no São Paulo, aprendo observando. É muito importante para uma referência histórica de qualquer instituição grande como a do São Paulo. A vida é um constante vai e vem, um sobe e desce. Temos que estar sendo preparados para os êxitos e também para os momentos não tão bons. O filme é educativo, é bom. Dá uma noção muito mais ampla”, disse o uruguaio Diego Lugano, superintendente de relações institucionais do Tricolor.

O conteúdo foi dirigido por André Plihal, Pedro Jorge e Alexandre Boechat. De acordo com os idealizadores, o objetivo era transmitir a grandeza do São Paulo para o público das telonas. Antes do início da sessão, os diretores ainda fizeram questão de homenagear o ex-goleiro Waldir Peres, morto no meio do ano passado, e um dos entrevistados.

“Apesar do São Paulo ser um clube da cidade de São Paulo, a partir da primeira conquista da Copa Libertadores, a de 1992, passa a ter uma fama nacional. Antes, inclusive, o Campeonato Brasileiro não tinha tanta força como o Campeonato Paulista, as coisas foram mudando. Acredito que agora, passar o filme para o Brasil inteiro é perceber que a história do clube não é feita apenas pelos paulistanos”, explicou Pedro Jorge, diretor do filme, ao lado de André Pilhal e Alexandre Boechat.

Vencedor pelo Tricolor como jogador e também como técnico, o hoje comentarista Muricy Ramalho foi um dos nomes mais festejados pelo público presente. O ex-treinador confessou que ficou emocionado com o carinho recebido pelos torcedores e também pelo conteúdo do filme.

“Ainda bem que estava escuro (risos). Realmente, voltei a me emocionar. São vitórias de um clube que eu nasci. Tenho uma gratidão enorme por esse clube, quando saí a primeira vez gostaria muito de voltar porque ganhar aqui é diferente de tudo. Vi ali meus filhos no Morumbi, hoje é um dos grandes legados que tenho. Meus três filhos são são-paulinos, um deles é fanático mesmo. Sou um cara emotivo. Todo lugar que eu vou, a torcida do São Paulo sempre tem um carinho por mim. Sou muito agradecido. Devo muito do que sou hoje na minha vida ao São Paulo”, discursou Muricy.