Helinho deve ser aposta do São Paulo em 2019 para melhorar desempenho ofensivo

321

GloboEsporte.com

Meia-atacante de 18 anos terminou a temporada como titular e agrada a André Jardine.

Helinho é forte candidato a começar a temporada de 2019 como titular do São Paulo. O técnico André Jardine quer uma equipe bem ofensiva para tentar recolocar o Tricolor no caminho das glórias, e o garoto é a principal aposta dentre aqueles revelados nas categorias de base do clube.

– Agradeço ao Jardine pela confiança, porque me deu a oportunidade de atuar entre os titulares nos últimos jogos. Tive a chance de mostrar o meu futebol para a torcida são-paulina – falou Helinho, ao site oficial do São Paulo.

Aos 18 anos, Helinho estreou pelo Tricolor da melhor forma. Com apenas um minuto no gramado, ele acertou belo chute e fez um dos gols do São Paulo no empate por 2 a 2 com o Flamengo.

Gol do São Paulo! Helinho corta para o meio e acerta o ângulo de canhota aos 5 do 2º tempo

Gol do São Paulo! Helinho corta para o meio e acerta o ângulo de canhota aos 5 do 2º tempo

Naquela ocasião, Diego Aguirre ainda era o treinador. Helinho, então, voltou a atuar somente com André Jardine, no empate com o Grêmio. E daí se firmou como titular, ficando fora apenas contra o Cruzeiro, por estar com dores nas duas panturrilhas.

Helinho em ação pelo São Paulo contra o Grêmio — Foto: Marcos Ribolli

Helinho em ação pelo São Paulo contra o Grêmio — Foto: Marcos Ribolli

Veja abaixo as partidas e os minutos de Helinho pelo São Paulo:

  • São Paulo 2×2 Flamengo – 45 minutos
  • São Paulo 1×1 Grêmio – 70 minutos
  • Vasco 2×0 São Paulo – 82 minutos
  • São Paulo 0x0 Sport – 75 minutos
  • Chapecoense 1×0 São Paulo – 90 minutos

Uma das missões de André Jardine, que teve 33,3% de aproveitamento nos jogos que comandou, é melhorar o desempenho ofensivo do time, que terminou sem fazer gols nos últimos três jogos. E Helinho é uma aposta para ajudar nesse sentido.

– Com certeza no nível de treinamento vai ter um choque. Vai treinar do jeito que acredito que um time que pensa em ser campeão tem de treniar. A cobrança vai ser muito forte. A competitividade vai ser diária. Quem não se adaptar a isso não vai jogar. Essa é a verdade, porque acho que o treino vai dizer muito de quem tem condição de jogar ou não – comentou o treinador.

O São Paulo se reapresenta no dia 3 de janeiro, no CT da Barra Funda, e viaja no dia seguinte para os Estados Unidos, onde participará da Florida Cup e fará a pré-temporada.