Com paz abalada, São Paulo busca “respostas importantes” para Libertadores

405

UOL

A 10 dias do jogo mais importante do ano até aqui, o São Paulo ainda procura “respostas importantes”. Foi assim que André Jardine definiu a sua busca por questões que ainda não foram resolvidas para enfrentar o Talleres, no próximo dia 6 de fevereiro, estreia da equipe na Copa Libertadores

Criticado no início do ano por conta do desempenho na Florida Cup e pela péssima reta final em 2018, o comandante viveu uma semana de paz com boas vitórias nas primeiras rodadas do Estadual. Porém, voltou a ver suas escolhas serem questionadas por parte da torcida e da mídia após o clássico do último domingo.

Depois da derrota por 2 a 0 contra o Santos, no Estádio do Pacaembu, o treinador chegou a elogiar o desempenho de alguns de seus jogadores em determinadas situações do jogo, mas deixou claro que precisa melhorar o desempenho de sua equipe.

O São Paulo teve pouca posse de bola durante a partida e quase não fez o goleiro Vanderlei trabalhar. Ele falou que, contra equipes grandes, o time precisará aprender a sofrer.

“Vamos saber tirar lições, coisas boas da derrota e ver o que não funcionou. Ao enfrentar equipes que estão acima, vamos ter que saber jogar recuado. Com o tempo, com o treinamento, poderemos nos impor como eu quero”, afirmou o comandante. 

“Já temos um caminho a seguir. Claro que seria melhor se a gente já estivesse entrosado, mas jogando de quarta e sábado é praticamente impossível”, completou.

De acordo com Jardine, sua equipe também precisa evoluir bastante no aspecto emocional e admitiu que o tempo para colocar tudo em ordem é pequeno.

“Precisamos ser mais equilibrados emocionalmente. É uma crítica que eu já fiz aos jogadores”, começou. “Eu tenho que buscar o ponto de equilíbrio para desenvolver uma equipe e entrosar atletas que vão estar neste jogo. Preciso acelerar este processo, porque, sem dúvidas, precisamos de respostas importantes contra o Talleres. E vamos ter esses dois jogos para responder questões que apareceram agora”, finalizou.

Antes de enfrentar o Talleres, o São Paulo tem mais dois jogos do Paulistão: o Guarani, no dia 31, às 21h, e o São Bento, no dia 3 de fevereiro, às 17h. 

2 COMENTÁRIOS

  1. É tudo amador. Leco e sua diretoria de futebol: Rai, Ricardo Rocha ( já foi embora) Lugano ( por onde anda?) Ótimos EX-jogadores, mas sem nenhum curriculo gerencial.
    Bauza, ( mandou Rogerio Amuleto embora) Rogerio Ceni ( cabo eleitoral ) Dorival Jr, Fora Aguirre e agora um técnico ( ótimo) para sub-20.
    Contratações como Maicossuel, Gomez, Biro Biro, Rojas, Carneiro, Volpi, insistência com Nene, volta Hernanes, esnoba Ganso – nenhuma coerência. E perdeu David Neres, Militão e vai perder Gabriel Novaes que ainda não renovou.
    E ao contrário do Santos e Flamengo tem medo em efetivar Araruna, Luan, Lizieiro, Antony e ficamos com Hudson/Jucilei só desarmando. Armação, zero. Se a bola não chega ninguém chuta. Contra o Santos nenhuma.
    Viram a tremedeira do time na Copinha? 2×0 , 2×2, Pênaltis, no pênalti decisivo neguinho chuta por cima. Um horror. Ganhamos porque foi contra a merda do Vasco.
    E pensar que Diego Cavalieri, Wanderley, Sanpaolli foram oferecidos ao São Paulo.

  2. Perder faz parte do jogo, porém, perder da maneira que perdemos ontem é um vexame. Fica a impressão de que nosso técnico está perdido. Não adianta falar em começo de temporada, pois, o Sampaoli chegou ontem à noite e nos deu um “baile”.