Apesar de garantia de Raí, derrota do São Paulo na Libertadores pressiona técnico André Jardine

1254

GloboEsporte.com

Marcelo Hazan

Garantido pelo executivo, treinador sofre golpe duro em primeira decisão contra Talleres.

Apesar de garantia de Raí, derrota do São Paulo na Libertadores pressiona técnico André Jardine

DIEGO LIMA / AFP

André Jardine está pressionado no cargo de técnico do São Paulo. A derrota por 2 a 0 para o Talleres na primeira decisão do ano é um golpe duro para o treinador, ainda que ele publicamente tenha sido garantido no cargo pelo executivo de futebol Raí.

Ao ser questionado se Jardine poderia cair antes do próximo jogo, quarta-feira (13), no Morumbi, Raí respondeu:

– Não, não. No que depender de mim (sobre Jardine ser demitido antes do segundo jogo)… Obviamente que tenho a convicção quando escolhi. Falei: é o começo, é o primeiro jogo da Libertadores. Acreditando na reviravolta e no trabalho do Jardine.

Raí disse publicamente acreditar no trabalho realizado por André Jardine — Foto: Marcelo Hazan

Raí disse publicamente acreditar no trabalho realizado por André Jardine — Foto: Marcelo Hazan


Vale lembrar o que disse Raí sobre a situação de Diego Aguirre em novembro de 2018, após um empate por 1 a 1 contra o Corinthians, no qual o São Paulo teve um jogador a mais durante todo o segundo tempo.

– A gente não vai avaliar o Aguirre por um jogo ou alguns jogos apenas. Vai ser por toda a temporada, desde que ele chegou até o final da temporada. A gente vai fazer isso com calma – afirmou Raí, num sábado.

Um dia depois, Aguirre acabou sendo demitido.

Expectativa era outra

O desempenho do São Paulo neste começo de 2019 está abaixo do esperado pela diretoria, assim como alguns dos resultados. A expectativa era por um futebol melhor do time, reforçado por sete contratações.

Nos bastidores, o rendimento do São Paulo é duramente criticado. A avaliação sobre Jardine é de que o treinador está ameaçado.

Ao ser perguntado sobre se o duelo de volta, quarta-feira, no Morumbi, poderia representar um divisor de águas em seu futuro no São Paulo, Jardine comentou:

– Quarta-feira é um jogo decisivo para o São Paulo e para as pretensões que todos têm. A Libertadores é uma grande prioridade do clube, do grupo, da direção, meu, da torcida. Quarta-feira é o dia da gente se mobilizar e entregar tudo o que pode entregar neste momento.

– Time grande é pressão sempre. Não existe um dia sequer que a gente não se pressione para fazer o melhor, buscar os resultados. Sinceramente, a gente convive com pressão, principalmente a interna nossa, que a gente entende ser capaz de entregar ao clube – respondeu, sobre como administrar a pressão durante esta semana.

Para seguir vivo na Libertadores, o São Paulo precisará vencer o Talleres por três gols de diferença ou bater os argentinos pelo mesmo placar de 2 a 0 para levar a decisão da vaga aos pênaltis.

2 COMENTÁRIOS

  1. O Raí que me desculpe, mas, basta uma inteligência mediana para perceber:
    1- Existe um abismo entre a defesa e o ataque; 2- o lado direito nosso não existe; 3- não se consegue nada novo usando sempre as mesmas peças e, por fim, é sempre salutar reconhecer que errou. Fui um entusiasta da contratação do Jardine e, não tenho dúvida de que será um excelente treinador, porém, no momento, ele não está pronto.

  2. Só temos um sentimento e comentário para essa derrota….
    #FORA JARDINE
    #FORA RAÍ
    LECO traz um técnico experiente, pra ontem, para tentar salvar essa lavoura.
    E coloca o Lugano para tomar conta do futebol, deixa o Raí encontrar o amigo dele na Globo.