Raí evita falar em “chapéu” e admite peso da torcida na contratação de Pato

511

GazetaEsportiva.net

Bruno Ceccon e Guilherme Serrano

Atacante acertou o seu retorno ao clube do Morumbi (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

Depois de muita negociação e rumores, o São Paulo enfim acertou a contratação de Alexandre Pato. Disputado também por Santos e Palmeiras, o atacante acabou preferindo o Tricolor, clube onde já tem uma certa identificação, mas Raí não acredita que houve um “chapéu” nos rivais.

Presente da sede da Federação Paulista de Futebol nesta quinta-feira para o congresso das semifinais do Campeonato Paulista, o diretor de futebol são-paulino evitou falar sobre uma possível celebração por ter vencido a concorrência por Pato.

“Não tem essa comemoração. É um jogador que vem conversando com a gente há algum tempo, é normal que haja interesse de outros clubes, mas a gente acabou concluindo a negociação e estamos muito satisfeitos com isso”, disse.

Com uma primeira passagem de sucesso no São Paulo entre 2014 e 2015, Pato criou uma certa identificação com a torcida tricolor, e de acordo com Raí, o fato realmente influenciou na contratação do jogador.

“Não dá pra falar todos os bastidores, mas obviamente a identificação dele com a torcida teve um peso importante. E isso é importante também na chegada dele, na atuação dele, no impacto dele nessa nas próximas temporadas”, completou. Classificado para as semifinais do Campeonato Paulista, o São Paulo enfrenta o Palmeiras às 18h (de Brasília), no sábado, no Morumbi.  O segundo jogo, por sua vez, ocorre às 16 horas do próximo domingo, no Allianz Parque, uma vez que a equipe alviverde tem melhor campanha.