Cuca tem meta de pontos no São Paulo, mas precisa melhorar os números

123

UOL/LancePress

Marcello Zambrana/AGIF

Antes mesmo de o Brasileirão começar, Cuca traçou uma meta de pontos para as nove rodadas que antecedem a Copa América: queria que o São Paulo chegasse a esta etapa da competição com pelo menos 18 pontos, uma média de quatro a cada duas partidas. Ainda é possível alcançar este número, mas para isso será preciso vencer dois jogos seguidos fora de casa. Com 12 pontos em sete rodadas, o São Paulo ocupa neste momento a oitava colocação e ainda enfrenta Avaí (sábado, às 21h, na Ressacada) e Atlético-MG (quinta-feira, às 20h, no Horto) antes da parada.

“Agora nós temos dois jogos fora de casa para fechar essa primeira etapa. Se a gente consegue duas vitórias, acabamos com 18 pontos, que é a meta de dois pontos por partida. São jogos difíceis, mas entendo que a gente pode sair com duas vitórias”, disse o comandante, após o empate por 1 a 1 com o Cruzeiro, no Pacaembu, domingo passado.

O Tricolor largou bem no Brasileirão, com dez pontos nas quatro primeiras rodadas, o segundo melhor início do clube na era dos pontos corridos, mas estagnou nas três partidas seguintes, somando só dois pontos: empatou em casa com Bahia e Cruzeiro e perdeu para o Corinthians. Em meio a esses jogos, houve duas derrotas para o mesmo Bahia e a consequente eliminação nas oitavas de final da Copa do Brasil, o que mergulhou a equipe na crise.

Essa má fase fez o aproveitamento de Cuca se tornar pior do que o dos dois técnicos anteriores do São Paulo nesta temporada. Ele acumula 12 jogos, com três vitórias, cinco empates e quatro derrotas: são 38,89% dos pontos. Vagner Mancini teve 48,15% de aproveitamento enquanto dirigiu a equipe interinamente (três vitórias, quatro empates e duas derrotas), enquanto André Jardine somou 41,67% dos pontos (três vitórias, um empate e quatro derrotas, sem contar as duas da Florida Cup).