São Paulo vê Lucas Fernandes e Igor Gomes prontos para nova função

1025

UOL

Bruno Grossi

Marcello Zambrana/AGIF

Os dois foram armadores clássicos na base, com a 10 nas costas. Mas agora podem encarar uma nova função no time profissional do São Paulo. A comissão técnica quer transformar Igor Gomes e Lucas Fernandes em volantes de saída, uma posição que andava carente no Tricolor – Tchê Tchê só chegou em abril e Liziero sofre com seguidas lesões. Igor vem sendo trabalhado para isso na parada do Campeonato Brasileiro. Na última segunda-feira, por exemplo, era o segundo volante do time reserva, que teve Vitor Bueno como meia-armador. A ideia é aproveitar sua força física para arrancar de área a área, com bom toque de bola e potencial no jogo aéreo defensivo.

O jogador vem respondendo bem nos treinos e já havia passado por essa experiência na primeira final do Campeonato Paulista, contra o Corinthians, quando Cuca colocou Hernanes no segundo tempo. Foi algo pontual, mas que deve se tornar rotina no segundo semestre. Lucas Fernandes se aventurou como segundo volante longe do São Paulo. Durante o empréstimo de uma temporada ao Portimonense, de Portugal, atuou mais recuado do que era costume no Tricolor, quando chegou até a ser ponta. Sua dinâmica conta na hora de ficar mais na saída de bola e chegar como surpresa para finalizar de longe, sua principal arma.

Quando jogava como meia, de uma forma mais tradicional, sofria para ficar de costas para o gol, muito marcado. A passagem pelo futebol português deu a Lucas mais ritmo de jogo e também mais força. Foram 30 partidas em um ano, uma marca que ele nunca conseguiu com a camisa do São Paulo. Agora, ainda espera a chegada de propostas para saber se permanece no Morumbi ou volta para a Europa. Hoje à tarde, treinou pela primeira vez com o grupo todo, mas ainda não tem previsão para estar à disposição no Brasileirão. O garoto de 21 anos faz uma espécie de pré-temporada após um período de férias.

A posição de segundo volante vem sendo ocupada por Tchê Tchê no Tricolor Paulista. Liziero é visto como um diferencial para o time, mas as seguidas lesões atrapalham o plano da comissão técnica de usá-lo como titular.