Lesão de Hernanes abre caminho para Dani Alves e Juanfran jogarem juntos

116

UOL

Arthur Sandes, Flávio Latif e José Eduardo Martins

Ambientado, Daniel Alves treina com os companheiros e deve estrear junto com Juanfran no domingo - Reprodução/Twitter

A lesão muscular que Hernanes sofreu no último sábado, durante clássico vencido contra o Santos, abre caminho para que dois reforços badalados do São Paulo sejam titulares juntos nas próximas semanas. Daniel Alves e Juanfran já têm condições de jogo e podem formar dupla no time na ausência do meio-campista, principalmente se o capitão da seleção brasileira jogar no meio-campo. Um ajuste preciso seria usar Dani Alves como tradicional camisa 10, na função que Hernanes vinha exercendo – neste caso Juanfran assumiria a lateral direita.

Outra possibilidade é formar o lado direito com os dois reforços e Antony, sendo Daniel uma espécie de segundo ou terceiro homem no meio-campo. Não está descartado que Juanfran seja improvisado em outra função na defesa, mas esta possibilidade é menos provável. A contusão de Hernanes acontece em momento no qual ele já vinha perdendo espaço no São Paulo, o que motivou algumas mudanças no meio-campo. Éverton foi quem começou de titular no clássico, pois Pato foi usado mais centralizado por Cuca. Mas o peso de Dani Alves e Juanfran promete novas mudanças na escalação.

A dupla de reforços treina no CT da Barra Funda há uma semana. Ambos se mostraram bastante à vontade na atividade de ontem, quando trabalharam no gramado sem restrições e deram os primeiros sinais da liderança que devem assumir no elenco tricolor. Tanto Daniel Alves quanto Juanfran têm condições físicas de estrear no domingo, contra o Ceará, mas as presenças ainda dependem de regularização junto à CBF. Hernanes começou o clássico contra o Santos na reserva e sofreu contusão grave no adutor da coxa direita após 14 minutos em campo, no segundo tempo. O São Paulo prefere não divulgar o grau da lesão e evita dar um prazo para a recuperação, mas o UOL Esporte apurou que o meio-campista “fica de molho” por pelo menos seis semanas.