Pato e Rebeca Abravanel pagam cirurgia de menino portador de doença rara

510

UOL

Arthur Sandes, Flávio Latif e José Eduardo Martins

O menino Heitor, que recebeu a ajuda de Alexandre Pato - Arquivo pessoal

Não é só dentro de campo que Alexandre Pato tem se destacado por suas ações. Autor de dois gols na vitória do clássico do São Paulo com o Santos, no último sábado (10), o atacante e sua esposa, Rebeca Abravanel, financiaram a cirurgia de um menino de 1 ano, que é portador de uma rara doença (megacólon congênito ou doença de Hirschsprung – que consiste em uma doença congênita caracterizada pela ausência de células ganglionares nos plexos submucosos e intramurais do intestino grosso, especialmente no reto e sigmóide).

“Os médicos descobriram a doença quando o Heitor tinha 2 meses de vida. Ele passou por uma cirurgia e entramos na fila do SUS. Ele já tinha um ano e cinco meses até que o Pato soube do caso e nos ajudou a pagar a cirurgia”, contou Maria Lúcia de Souza Martins, a mãe de Heitor, que é moradora de Palmas, em Tocantins e tinha aberto uma vaquinha virtual para obter os recursos necessários para a operação.

“Abri a vaquinha em junho. O Pato ficou sabendo do caso pelas redes sociais. Ele conversou comigo e quis saber mais sobre a situação. A gente estava na metade do caminho, porém não estava liberado para o saque da vaquinha e a médica havia falado que era necessário fazer logo a cirurgia. Aí o Pato falou para fazer a cirurgia e pagou”, explicou a mãe, que está desempregada. O menino foi operado na última semana e recebeu alta hospitalar hoje (13). Agora, ele está se recuperando em casa. “Meu marido [David de Oliveira, 24 anos] é palmeirense. Mas eu e o Heitor já somos são-paulinos em gratidão ao Pato”, disse Maria.