Análise: São Paulo mantém padrão de desespero e falta de criatividade nos jogos no Morumbi

467

GloboEsporte

Leandro Canônico

Na derrota para o Goiás, Tricolor levantou 37 bolas na área adversária, mas criou pouco.

É injusto dizer que o São Paulo não tem padrão de jogo. Ao menos nos dois últimos jogos em casa neste Brasileirão, a equipe mostrou as mesmas características: desespero e falta de criatividade.

Se o cenário já era ruim no frustrante empate com o CSA, depois da derrota para o Goiás, na última quarta-feira, no Morumbi, o Tricolor provou que ainda está longe de merecer brigar por algo maior.

E por algo maior, não entenda apenas título. A essa altura, até mesmo uma vaga na Libertadores da América de 2020 começa a fugir do horizonte para os torcedores do São Paulo.

– A ansiedade atrapalha muito. Quando se perde chances, vai atrapalhando o emocional. Quem joga bola até nas peladas sabe que ela queima no pé e perde a confiança – disse Cuca.

Daniel Alves lamenta chance perdida pelo São Paulo no Morumbi — Foto: MARCELLO FIM/O FOTOGRÁFICO/ESTADÃO CONTEÚDO

O técnico do São Paulo tem razão na observação feita na entrevista coletiva após a derrota para o Goiás. Mas ele mesmo tem de se responsabilizar por encontrar alternativas para vencer isso.

Falta ao Tricolor jogadas mais bem elaboradas. Quando o desespero entra em campo, seja por um gol sofrido ou por um lance mal definido, começa a “sessão chuveirinho”.

Na derrota para o Goiás, por exemplo, o São Paulo levantou 37 bolas na área adversária. Com tanto volume, ter apenas sete chances reais de gol nesse cenário é muito pouco. Pior ainda não marcar.

– O São Paulo tem que envolver o adversário com a bola no chão. A jogada aérea tem que ser uma alternativa, não a principal – analisou o comentarista Casagrande durante a transmissão.

Reinaldo lamenta pênalti perdido contra o Goiás — Foto: Marcos Ribolli

Reinaldo lamenta pênalti perdido contra o Goiás — Foto: Marcos Ribolli

Volume de jogo e entrega dos jogadores estão longe de ser os problemas do São Paulo nos últimos jogos, em especial aqueles no Morumbi. A questão principal parece ser psicológica e técnica.

Tanto que Reinaldo, melhor em campo na última quarta-feira, mudou seu estilo de bater pênalti e desperdiçou a chance de reação do Tricolor diante do Goiás.

Na próxima rodada, o São Paulo terá uma missão super complicada fora de casa: enfrenta o líder Flamengo, no sábado, às 19h, no Maracanã. Cuca, sob pressão, precisa encontrar um caminho.

Do contrário, a pressão só vai aumentar…

1 COMENTÁRIO