Em 1º teste na lateral, Dani Alves sofre com Apodi e termina jogo no meio

156

UOL

Leandro Miranda

De volta da seleção brasileira, onde é titular indiscutível da lateral direita e tido como um dos melhores do mundo na posição, Daniel Alves fez ontem sua primeira partida com a camisa do São Paulo em sua função de origem. Mas não conseguiu brilhar no empate por 1 a 1 com o CSA em pleno Morumbi, sofrendo com a presença do veloz Apodi por seu setor, e acabou a partida jogando novamente no meio-campo. O início de Dani até foi promissor. Mostrando a habitual qualidade de passe, ele provou que não precisa ser meia para armar o time e encontrou ótimas bolas para Éverton e Pablo na área, que não foram bem aproveitados. O camisa 10 tricolor, aliás, orientava constantemente os companheiro e reclamava quando os lances não saíam.

Aos poucos, porém, o duelo com Apodi foi ficando complicado para Daniel. O técnico Argel Fucks colocou o jogador do CSA, também lateral direito de origem, como ponta esquerda, com a missão de marcar individualmente o astro são-paulino. Onde quer que Dani Alves fosse, apoiando por dentro ou ultrapassando por fora, lá estava Apodi para atrapalhar. O entendimento com Antony e Tchê Tchê pelo lado direito também não foi dos melhores.

Na parte defensiva, Daniel Alves também sofreu com o rival. Aos 21 minutos, tomou um drible seco de Apodi, que bateu cruzado para boa defesa de Tiago Volpi. Também precisou recorrer a algumas faltas diante da velocidade do adversário, apesar de ter conseguido bons desarmes em outros lances. Já no lance do gol do CSA, que foi iniciado por Apodi, Dani não estava no setor: havia saído para dar um bote no meio-campo e acabou tomando o passe nas costas.

A melhor participação de Daniel Alves como lateral foi na bola parada: bateu com categoria uma falta no fim do primeiro tempo e reclamou muito consigo mesmo depois que a bola passou a centímetros do ângulo, saindo pela linha de fundo. Já na parte final do segundo tempo, com o CSA vencendo por 1 a 0, Cuca devolveu o jogador para fazer a armação no meio-campo, abrindo Tchê Tchê na lateral. Juanfran, o espanhol que o São Paulo também contratou para a posição, não saiu do banco.

“O Daniel é um jogador importante em todos os sentidos, principalmente no aspecto técnico. Hoje, em uma parte do jogo, o Tchê Tchê foi para a direita. A gente utiliza da melhor forma. No começo da semana, todos falavam do Daniel Alves na lateral. Se vencer, o que fizermos vai estar certo. Se não vencer, vai estar errado” – Cuca.

Com o tropeço diante do CSA, o São Paulo chegou à quarta rodada seguida sem vitória no Campeonato Brasileiro e perdeu a chance de terminar o primeiro turno dentro do G-4. O time volta a campo no próximo sábado (21), contra o Botafogo, fora de casa, com mais uma dor de cabeça para Cuca: onde escalar Daniel Alves?