Fernando Diniz cita Telê Santana como inspiração: “DNA do São Paulo tem muito a ver comigo”

247

GloboEsporte

Eduardo Rodrigues e Marcelo Hazan 

Novo técnico vê Tricolor como grande chance de sua carreira: “Eu me sinto honrado, me sinto realizado de trabalhar no tricampeão mundial”.

O São Paulo apresentou na manhã desta sexta-feira o técnico Fernando Diniz. Sucessor de Cuca, que pediu demissão depois da derrota para o Goiás, na quarta-feira, o treinador de 45 anos inicia a sua primeira passagem pelo Tricolor Paulista.

Em entrevista coletiva, Fernando Diniz disse que Telê Santana é uma inspiração.

– Eu me sinto honrado, me sinto realizado de trabalhar no tricampeão mundial. Só isso já diz muito sobre o São Paulo, passando pelo momento mágico do Telê, tricampeonato mundial, passando pelo Raí, o tricampeonato do Muricy… O meu trabalho é para tirar o melhor dos jogadores. O DNA do São Paulo tem muito a ver comigo. O São Paulo do Telê. Isso tem muito para a gente fazer um grande trabalho – afirmou o treinador.

Daniel Alves e Hernanes ouvem Fernando Diniz em treino do São Paulo — Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Questionado se esta é a maior chance de sua carreira, Fernando Diniz disse:

– Certamente. A carreira está evoluindo da onde saí. Os times Atlético, Fluminense e agora São Paulo é o auge da carreira. Espero corresponder à expectativa de todos, a minha também. Que cative o torcedor jogando de uma maneira bonita.

Veja como foi a apresentação de Fernando Diniz, o novo técnico do São Paulo

Veja como foi a apresentação de Fernando Diniz, o novo técnico do São Paulo

A estreia do técnico será sábado, contra o Flamengo, no Maracanã, às 19h. A chegada de Diniz impactou no pedido de demissão do coordenador técnico Vagner Mancini, que dirigiria o time como interino diante do Flamengo. Raí disse que foi “pego de surpresa” pela saída de Mancini.

Raí diz que pedido de demissão do coordenador Mancini pegou São Paulo de surpresa

Raí diz que pedido de demissão do coordenador Mancini pegou São Paulo de surpresa

Fernando Diniz afirmou que não se sente intimidado por ter um desafio tão difícil logo de cara e com pouco tempo para implantar seu estilo de jogo.

– Acho que a filosofia nunca está totalmente implantado. Essa questão de tempo no Brasil é chover no molhado. Eu perguntei para o Guardiola e ele disse que em um ano não dá para fazer nada. O Klopp diz que não dá para fazer em três anos. Aqui é diferente e a gente tem que trabalhar.

– A pressão existe, um time como São Paulo ficar sem títulos a pressão aumenta. Quanto ao time (que vai enfrentar o Flamengo), no treino de hoje a gente foi colocando doses homeopáticas. Vamos passar vídeos e vamos levar um time muito forte para enfrentar o Flamengo – disse Diniz.

Fernando Diniz e Raí, em entrevista coletiva no São Paulo nesta sexta-feira — Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Fernando Diniz e Raí, em entrevista coletiva no São Paulo nesta sexta-feira — Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Ainda sobre sua proposta de trabalho e sobre quanto tempo precisa para colocar suas ideias, Fernando Diniz destacou a qualidade do elenco do São Paulo:

– O grupo se encaixa perfeitamente. Jogadores de muita qualidade, renomados e vencedores. O São Paulo é um celeiro de jovens talentos, gosto muito de olhar a base. Estou muito amparado. Tempo é subjetivo. Não dá para falar quanto tempo precisa. Todos querem vencer. Esperamos vencer o quanto antes, para sedimentar o trabalho. Mas tempo é relativo.

Fernando Diniz com Igor Vinícius e Juanfran em treino do São Paulo — Foto: divulgação São Paulo

Fernando Diniz com Igor Vinícius e Juanfran em treino do São Paulo — Foto: divulgação São Paulo

Sobre flexibilidade em seu estilo de jogo, Fernando Diniz declarou:

– Eu não sou uma pessoa inflexível. O trabalho do técnico é criar oportunidades e anular o adversário. Quanto mais chance você criar mais chance de vencer. No Fluminense contra o Atlético Nacional jogamos quase 70 minutos em bloco baixo. O meu estilo de jogo que eu adoto é para ter resultado. Acredito que se você jogar bem, você tem mais chance de ganhar. Quando possível jogar bem a gente vai jogar. Se precisar ser mais reativo vai ser.

– Isso vai ser gradativo. Eu não vou chegar aqui e mudar tudo. Cuca é um grande treinador, o Mancini… Vou adaptar o time no melhor jeito. A minha ideia de jogar que me trouxe ao São Paulo. Saí da terceira divisão, cheguei ao Fluminense. E vocês sabem que o Fluminense criava e batia de frente com as equipes. O resultado vem com a perseverança e mais consistente. A cada ano eu venho melhorando. Do Athletico para o Fluminense eu evoluí.

Fernando Diniz conversa com Tchê Tchê, que foi seu jogador no Audax — Foto: Marcelo Hazan

Fernando Diniz conversa com Tchê Tchê, que foi seu jogador no Audax — Foto: Marcelo Hazan

O técnico respondeu sobre as críticas ao seu nome logo após o anúncio nas redes sociais:

– Vejo muito pouco rede social e internet. Tenho convicção do meu trabalho. O São Paulo abriu as portas. A torcida quer vencer. Pessoas falam do resultado. No Fluminense, embora o time estivesse desconfortável na tabela, estava nas quartas da Sul-Americana e eu tinha aprovação do torcedor. Estou consciente do que vim fazer no São Paulo. É dar o melhor para fazer alegria do torcedor – disse Fernando Diniz.

Fernando Diniz afirma: "O DNA do São Paulo tem muito a ver comigo"

Fernando Diniz afirma: “O DNA do São Paulo tem muito a ver comigo”

Comissão técnica e detalhes do contrato

Fernando Diniz chega ao São Paulo com o preparador físico Wagner Bertelli e o auxiliar técnico Márcio Araújo, que começou a carreira como jogador nas categorias de base do São Paulo e foi campeão paulista de 1985 e brasileiro de 1986.

O contrato de Diniz com o São Paulo não tem prazo de validade e também não tem multa em caso de rescisão. A diretoria do Tricolor acertou um contrato com bases na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

Fernando Diniz se apresenta para o grupo do São Paulo — Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Fernando Diniz se apresenta para o grupo do São Paulo — Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Na enquete realizada pelo GloboEsporte.com depois do pedido de demissão de Cuca, Fernando Diniz terminou como terceiro colocado, com 9,22% dos votos. À frente dele ficaram Tiago Nunes, do Athletico-PR, com 20,94%, e Rogério Ceni, demitido nesta quinta do Cruzeiro, com 20,92%.

Em entrevista recente ao narrador Cleber Machado, em seu podcast, Fernando Diniz explicou seu método de trabalho. Ouça no podcast:

Ficha técnica:

  • Nome completo: Fernando Diniz Silva
  • Data de nascimento: 27/03/1974 (45 anos)
  • Local de nascimento: Patos de Minas (MG)
  • Clubes: Votoraty (2009-2010), Paulista (2010-2011), Botafogo-SP (2011), Atlético Sorocaba (2011-2012), Audax (2013-2014), Guaratinguetá (2014), Audax (2015), Paraná (2015), Audax (2016), Oeste (2016), Audax (2017), Athletico Paranaense (2018), Fluminense (2019) e São Paulo (desde 2019)
  • Títulos: Copa Paulista de Futebol (2009 e 2010) e Campeonato Paulista Série A3 (2009)
  • Premiações: Melhor técnico do Campeonato Paulista (2016), Seleção do Campeonato Paulista (2016) e Melhor técnico do Campeonato Carioca (2019)