Organizada xinga Leco e jogadores em protesto no Morumbi: “Surra atrasada”

382

UOL

Arthur Sandes e José Eduardo Martins

A derrota por 1 a 0 para o Goiás terminou em xingamentos, vaias e protesto de uma torcida organizada do São Paulo na noite de hoje. No portão principal do Morumbi, cerca de 50 torcedores da Independente cobraram o time pela má fase e o futebol questionável. O principal alvo foi o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, mas o técnico Cuca também foi xingado. No geral, o time foi chamado de “pipoqueiro” e “amarelão”. Nos versos mais violentos, torcedores cantaram que o “salário está em dia; a surra, atrasada”.

Parte da manifestação foi voltada a alguns jogadores, individualmente. Para Daniel Alves, a cobrança foi por “compromisso, depois a diversão”. Everton, Helinho, Tchê Tchê e Antony foram alguns dos xingados, assim como Pablo, artilheiro do São Paulo em 2019 com seis gols. Sobrou até para Hudson, que nem entrou em campo contra o Goiás.

Torcedores já haviam protestado no Morumbi após empate por 1 a 1 com o CSA, há dez dias. O repertório se manteve: ataques a Leco, Cuca e cobranças aos jogadores mais questionados do elenco, mas desta vez a intensidade foi maior. O São Paulo ocupa a sexta posição do Campeonato Brasileiro com 35 pontos, 13 atrás do líder Flamengo, tendo vencido apenas um dos últimos seis jogos disputados. A derrota nesta noite foi a primeira do Tricolor em casa neste Brasileirão, mas o sétimo tropeço.

1 COMENTÁRIO