Menon: Diniz erra o básico e time frouxo dá adeus à Libertadores

1647

Blog do Menon – UOL

Antes de se tornar uma referência mundial, antes de ser dono de um trabalho autoral, antes de ter status de gênio, um treinador precisa ganhar jogos. Campeonato.

E uma coisa importante para  que as vitórias cheguem, é consertar problemas básicos.

Diniz, cultuado por alguns, não consegue resolver problemas básicos de seus times.

Vamos falar apenas do São Paulo. Quais os problemas?

1) O time não tem profundidade e amplitude. Não chega ao fundo. Antony e Vitor Bueno derivam para o meio e não tabelam com os laterais.

2) Daniel Alves deixa a lateral e vai para o meio, armar o jogo. Não é problema. Problema é não haver uma boa cobertura. Fica um espaço para os rivais atacarem, com perigo.

Precisa resolver.

Diniz não consegue.

Então, o Fluminense faz o segundo gol pela esquerda, onde (não) está Daniel Alves.

Com 2 x 0, ficou muito fácil. Duas linhas compactas contra um time que não usa as pontas.

Ao desastre tático anunciado, some-se a falta de fibra. A mesma que apareceu contra Cruzeiro e Palmeiras. Um time sem jogadores que, ao menos, tentem resolver de uma forma ou outra: um drible, uma disputa mais dura, uma cabeçada.

É um time em que não se pode confiar. Um time sem caráter.

Leia também: