Mobilização de torcida por permanência no São Paulo surpreendeu Tiago Volpi

643

UOL

No dia 24 de dezembro, o São Paulo anunciou a contratação definitiva do goleiro Tiago Volpi. O jogador, que chegou ao clube em 2019 emprestado pelo Querétaro (México), teve sua permanência adquirida até 2023, para a alegria de boa parte da torcida. Em entrevista divulgada hoje pelo próprio São Paulo nas redes sociais, Volpi disse que se surpreendeu com a mobilização dos torcedores. E reconheceu que, enquanto seu futuro não se definia após o término do Campeonato Brasileiro, estava ansioso com o futuro.

“Depois que terminou o campeonato, rolou uma ansiedade. Enquanto está jogando, está focado, a gente está concentrado só naquilo ali, tu não pensa nas outras coisas. Depois do dia em que terminou o Brasileiro, em que a gente entra de férias, fica aquela ansiedade por uma definição. Valeu a pena essa ansiedade porque foi um belo presente de Natal. O dia que me ligaram para informar que tinha dado certo, que tinham entrado num acordo com o Querétaro, todo mundo ficou contente, muito feliz – minha esposa, minha filha que já entende mais o que são as coisas, ela já cria esse carinho, essa identificação (com o clube). Ficou tudo de uma forma muito perfeita com essa contratação definitiva por mais quatro anos”, declarou o goleiro.

“Foi um negócio meio maluco. Eu nunca tinha visto comigo uma mobilização tão grande dos torcedores pedindo para eu ficar, as pessoas mandando mensagens. Acho que isso é uma troca de reconhecimento. Então, para mim, poder ficar (é) dar um certo presente para eles também, que me apoiaram neste ano. Agora (o objetivo é) transformar isso em vitórias, títulos, é o que a gente espera daqui para frente”, afirmou também.

Embora o São Paulo não conquiste um título de destaque desde a Copa Sul-Americana de 2012, Tiago Volpi acredita que o time possa disputar títulos a curto prazo. Para isso, segundo ele, o primeiro passo foi dado: a manutenção da base do elenco e da comissão técnica.

“A questão de manter o elenco é importante. A gente sai um passinho na frente por todo mundo por já se conhecer, por ter terminado um trabalho onde a gente inicia sabendo qual é a linha de trabalho que a gente tem que fazer dentro de campo. É importante. São poucos dias de preparação. Quando o grupo já se conhece, quando o grupo já sabe o que tem que fazer, se dá bem com a comissão técnica, entende o trabalho, facilita para que seja uma pré-temporada boa e que esse ano possa ser promissor, porque a gente está com muita vontade de fazer o São Paulo voltar a ser campeão”, analisou.

A avaliação contou com um olhar elogioso para o trabalho do técnico Fernando Diniz — segundo ele, “o chefe”. “Acho que nada melhor que trabalhar com quem confia em você, com quem sabe e consegue extrair o máximo que você pode dar. Isso me dá muito mais confiança para começar esse trabalho e poder fazer um grande ano”, explicou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor entre com seu comentário!
Entre seu nome aqui

17 − seis =