Pato ganha sequência e tenta quebrar jejum de seis meses sem marcar gols

37

UOL/LancePress

Alexandre Pato será titular do São Paulo pela terceira vez seguida hoje, a partir das 18h, contra o Santo André, no Bruno José Daniel. O camisa 7 teve boas atuações contra Ferroviária e Novorizontino, mas não marcou gols e segue tentando quebrar um incômodo jejum que completará exatos seis meses amanhã —ele participou de 12 jogos no período, sendo oito como titular. Os últimos gols de Pato saíram na vitória por 3 a 2 sobre o Santos, em 10 de agosto de 2019, no Morumbi, quando ele balançou as redes duas vezes. Na verdade, foram os últimos gols válidos do jogador.

Na segunda-feira, ele fez dois no empate por 1 a 1 com o Novorizontino, mas ambos foram anulados equivocadamente. A atuação do árbitro Flávio Roberto Mineiro Ribeiro nesta partida, aliás, rendeu-lhe um período de geladeira em jogos do Paulistão —embora ele siga trabalhando em eventos da CBF. Mas os erros do juiz não foram os únicos problemas enfrentados por Pato desde aquele San-São. Uma pancada sofrida naquela partida o deixou fora das quatro rodadas seguintes, brecando sua ascensão. Ele retornou em um empate por 1 a 1 com o CSA, entrando no intervalo, e então sofreu uma lesão na coxa direita que o afastou de mais quatro jogos.

No período em que esteve machucado, o São Paulo trocou Cuca por Fernando Diniz no comando técnico. A expectativa era de que o camisa 7 tivesse mais facilidade para deslanchar com o novo comandante, uma vez que ele chegou ao clube dizendo que o jogador é tão talentoso que já poderia ter disputado duas Copa do Mundo e que o antecessor tinha restrições ao seu estilo de jogo. Mas isso não se confirmou. Diniz deu a Pato uma sequência de seis jogos como titular, mas ele não jogou bem e nem marcou gols —chegou a perder uma chance sem goleiro na vitória por 1 a 0 sobre o Avaí, no Morumbi. Em cinco dessas partidas, o atacante atuou como centroavante, onde ele dizia ter dificuldades para se sentir à vontade.

O jogador de 30 anos prefere atuar aberto pelo lado esquerdo, região do campo que ocupou em sua última aparição na equipe em 2019, no segundo tempo da derrota por 2 a 0 sobre o Fluminense, no Morumbi. Novamente não jogou bem. Pato não foi utilizado nas sete partidas finais do Tricolor no ano passado, mas iniciou 2020 bastante elogiado por ter treinado nas férias e pelo empenho nos treinos.

Diniz o acionou nas quatro partidas do ano, saindo do banco nas duas primeiras e desde o início nas duas últimas, após Helinho, escolhido para jogar enquanto Antony está na Seleção, se machucar. Para surpresa de muitos, é como centroavante que o camisa 7 está jogando (e bem), com Pablo caindo pelos lados. “É uma coisa que ele já falou algumas vezes, mas eu não vejo que o Pato tem dificuldade para jogar ali. Ele é um 9 que pode ser 9,5, pode cair pelos lados. Não é um 9 fixo. Ele é um jogador muito perigoso. Eu acho que um jogador com a técnica que ele tem precisa ficar muito próximo do gol, e ali ele vai estar mais próximo do gol”, afirmou o treinador.

Pato já arriscou seis finalizações neste Paulistão, sendo uma no travessão, duas defendidas pelo goleiro da Ferroviária e três sem direção, além das duas certas que a arbitragem anulou.