Diniz comenta evolução do São Paulo e fala sobre jogo “especial” com o Novorizontino

57

GazetaEsportiva

Fernando Diniz chegou ao São Paulo sob desconfiança da torcida, porém ganhou prestígio neste ano. A equipe praticou um futebol ofensivo e dominante nas últimas partidas antes da paralisação por conta do coronavírus, trazendo uma boa perspectiva para o restante da temporada.

Em entrevista a um podcast produzido pelo Tricolor, Diniz fez uma avaliação sobre o caminho percorrido pelo São Paulo em 2020. O técnico acredita que o time está em uma crescente e poderia estar em uma situação ainda mais favorável no Campeonato Paulista.

“Eu acho que o São Paulo é um time que está crescendo cada vez mais. A equipe tem treinado e jogado muito bem. Tem muita coisa para melhorar durante o ano. Foi uma pena essa interrupção, quando os resultados estavam começando a aparecer de uma maneira mais nítida. A gente poderia estar em uma colocação muito a cima no Paulista, muitos pontos por conta da arbitragem, alguns outros muitos porque não conseguimos aproveitar as chances que estávamos criando. Talvez o mais positivo disso tudo seja o torcedor adquirindo cada vez mais uma conexão com o time no campo, e os jogadores sentem isso”, pontuou o técnico.

Um dos mecanismos mais importantes para o modelo de jogo de Diniz é a saída de bola com passes curtos desde a defesa. O treinador falou sobre o trabalho desenvolvido junto dos jogadores, que tiveram que aprender a lidarem com erros.

“O Bruno Alves é um jogador que foi pouco estimulado a fazer aquilo que tem muita competência para fazer. Então cada vez mais ele produz mais, o Arboleda da mesma forma. O Volpi já era um jogador com iniciativa, que tem inteligência, técnica para fazer. No tempo, a gente vai mostrando que é possível fazer no treino com a dedicação dos jogadores e as coisas vão ficando cada vez mais fáceis”, disse Diniz.

“Não foi tudo de uma hora para outra. Os jogadores puderam encarar os erros e entenderam que o mundo não vai acabar porque a gente errou. A gente tem que corrigir e se aprimorar para que aquilo possa dar certo em uma próxima vez”, completou.

Por fim, Diniz relembrou a partida contra o Novorizontino, na qual o São Paulo ficou apenas no empate no Morumbi, porém foi severamente prejudicado pela arbitragem. O treinador destaca que o confronto foi um ponto de virada na temporada.“O jogo do Novorizontino foi um momento muito especial. É muito difícil o torcedor do São Paulo aplaudir a equipe após empatar com um time considerado pequeno dentro de casa. Naquele jogo, o torcedor viu o empenho do jogador e estava gostando daquilo que a equipe estava produzindo. Estava faltando o resultado, que é uma coisa muito soberana no futebol, a gente precisa ganhar os jogos. Mas, naquele momento, passamos para o torcedor que aquele era o caminho para as coisas darem certo”, finalizou.

Diniz já comando o São Paulo em 27 partidas desde o ano passando, tendo vencido 13 delas, empatado outras sete e sido derrotado em sete ocasiões. Com um aproveitamento de 56,7%, o técnico vive momento de prestígio com a torcida e diretoria do Tricolor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor entre com seu comentário!
Entre seu nome aqui

13 + 6 =