Ranking do século: veja qual foi o melhor e o pior São Paulo dos últimos anos; vote nas enquetes

448

GloboEsporte

De 2001 a 2019, Tricolor teve anos de glórias e agora enfrenta jejum incômodo de títulos.

Qual é a melhor temporada do São Paulo no século? E a pior? Em meio à paralisação do futebol por causa da pandemia do novo coronavírus, o GloboEsporte.com mostra como foi o desempenho do Tricolor de 2001 a 2019 e faz um ranking do pior até o melhor ano.

+ Leia mais notícias do São Paulo

Concorda? Discorda? Vote nas enquetes:

Qual foi a pior temporada do São Paulo neste século?

Veja o ranking do GloboEsporte.com:

19º (pior ano)- 2017

Rogério Ceni, quando era técnico do São Paulo — Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net

Rogério Ceni, quando era técnico do São Paulo — Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net

Brigou para não ser rebaixado no Brasileirão e sofreu eliminação tripla: Corinthians (semi do Paulistão), Cruzeiro (Copa do Brasil) e Defensa y Justicia (Sul-Americana). Iniciou a temporada sob o comando de Rogério Ceni e terminou com Dorival Júnior. Teve em Hernanes o grande símbolo da retomada para fugir da inédita queda para a Série B.

  • Brasileiro: 13º
  • Copa do Brasil: 4ª fase
  • Sul-Americana: 1ª fase
  • Paulistão: 4º
  • Time-base (quem mais atuou no ano): Sidão, Buffarini (Bruno), Rodrigo Caio, Arboleda e Júnior Tavares; Jucilei, Petros e Hernanes; Cueva, Marcos Guilherme e Lucas Pratto.

18º – 2013

Acesso gratuito

Faça seu login grátis e tenha acesso ilimitado às exclusividades Globoesporte

Corinthians leva o título da Recopa Sul-Americana sobre o rival São Paulo

Corinthians leva o título da Recopa Sul-Americana sobre o rival São Paulo

Mais uma vez brigou contra o rebaixamento no Brasileirão. Iniciou a recuperação após a troca de Paulo Autuori por Muricy Ramalho, em setembro daquele ano, quando o time era o 18º colocado. Caiu para Atlético-MG (Libertadores), Ponte Preta (Sul-Americana) e Corinthians (Paulistão). Também perdeu para Corinthians (Recopa) e Kashima Antlers (Copa Suruga).

  • Brasileiro: 9º
  • Libertadores: Oitavas de final
  • Recopa: vice-campeão
  • Sul-Americana: semifinal
  • Copa Suruga: vice-campeão
  • Paulistão: 3º
  • Time-base (quem mais jogou no ano): Rogério Ceni, Douglas, Rodrigo Caio, Rafael Tolói e Cortez (Reinaldo); Wellington, Maicon, Paulo Henrique Ganso e Jadson; Aloísio e Luís Fabiano.

17º – 2018

Diego Aguirre e André Jardine durante treino do São Paulo — Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net

Diego Aguirre e André Jardine durante treino do São Paulo — Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net

O time terminou o primeiro turno na liderança do Brasileirão, mas caiu de rendimento na segunda metade, principalmente por causa do desfalque de Everton. A temporada terminou com demissão do técnico Diego Aguirre a cinco rodadas do fim da competição, e André Jardine assumiu a equipe. Foi eliminado por Athlético-PR (Copa do Brasil), Colón (Sul-Americana) e Corinthians (Paulistão).

  • Brasileiro: 5º
  • Copa do Brasil: 4ª fase
  • Sul-Americana: 2ª fase
  • Paulistão: 3º
  • Time-base (quem mais jogou no ano): Jean, Bruno Peres, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Hudson, Jucilei e Nenê; Helinho, Everton e Diego Souza.

16º – 2016

Acesso gratuito

Faça seu login grátis e tenha acesso ilimitado às exclusividades Globoesporte

Os gols de Atlético Nacional 2 x 1 São Paulo, pela Libertadores

Os gols de Atlético Nacional 2 x 1 São Paulo, pela Libertadores

De forma surpreendente, o Tricolor foi até a semifinal da Libertadores com o argentino Edgardo Bauza. Calleri, com 16 gols em 31 jogos, foi o grande nome do time eliminado pelo campeão Atlético Nacional, da Colômbia. A queda foi marcada por muita reclamação da arbitragem por um pênalti não marcado em Hudson no segundo jogo, em Medellín. A expulsão de Maicon, no Morumbi, também foi contestada. O Tricolor também caiu para Juventude (Copa do Brasil), Audax (à época dirigido por Fernando Diniz, nas quartas de final do Paulistão) e fez campanha discreta no Brasileirão.

  • Brasileirão: 10º
  • Copa do Brasil: oitavas de final
  • Libertadores: semifinal
  • Paulistão: 8º
  • Time-base (quem mais jogou no ano): Denis, Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Mena (Carlinhos); Hudson, Thiago Mendes, Wesley (Michel Bastos) e Paulo Henrique Ganso (Cueva); Kelvin (Luiz Araújo) e Calleri (Chávez).

15º – 2010

Fernandão e Hernanes comemoram gol do São Paulo — Foto: Wagner Carmo / VIPCOMM

Fernandão e Hernanes comemoram gol do São Paulo — Foto: Wagner Carmo / VIPCOMM

Rogério Ceni, Miranda, Hernanes, Fernandão, Dagoberto e Ricardo Oliveira eram os principais nomes de um São Paulo que ficou muito perto de voltar a uma final de Libertadores, mas parou no ótimo Internacional de D’Alessandro, Guiñazu, Sandro, Tinga, Taison e Alecsandro. O Tricolor também sofreu a primeira das três eliminações seguidas para o Santos de Neymar e Ganso na semifinal do Paulistão (2010, 2011 e 2012).

  • Brasileiro: 9º
  • Libertadores: semifinal
  • Paulistão: 4º

14º – 2019

Acesso gratuito

Faça seu login grátis e tenha acesso ilimitado às exclusividades Globoesporte

Melhores momentos: Corinthians 2 x 1 São Paulo pela final do Campeonato Paulista 2019

Melhores momentos: Corinthians 2 x 1 São Paulo pela final do Campeonato Paulista 2019

O São Paulo disputou a primeira final de campeonato da “era Leco” (de outubro de 2015 até hoje com o atual presidente no cargo) e perdeu a taça do Paulistão para o Corinthians. A equipe teve quatro treinadores no ano: André Jardine, Vagner Mancini (interino), Cuca e Fernando Diniz. O Tricolor foi eliminado por Talleres (Libertadores) e Bahia (Copa do Brasil).

  • Brasileiro: 6º
  • Copa do Brasil: oitavas de final
  • Libertadores: 2ª fase
  • Paulistão: vice-campeão
  • Time-base (quem mais jogou no ano): Tiago Volpi, Igor Vinícius (Juanfran), Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Luan (Tchê Tchê), Hernanes (Igor Gomes) e Daniel Alves; Antony, Alexandre Pato e Pablo.

13º – 2011

Acesso gratuito

Faça seu login grátis e tenha acesso ilimitado às exclusividades Globoesporte

Rogério Ceni faz gol 100 da carreira em partida contra o Corinthians

Rogério Ceni faz gol 100 da carreira em partida contra o Corinthians

O ano marcou o centésimo gol da carreira de Rogério Ceni, em clássico vencido por 2 a 1 contra o rival Corinthians, na Arena Barueri.

  • Brasileiro: 6º
  • Copa do Brasil: quartas de final
  • Sul-Americana: oitavas de final
  • Paulistão: 4º
  • Time-base (quem mais jogou no ano): Rogério Ceni, Jean, Rhodolfo, Alex Silva (Xandão e João Filipe) e Juan; Wellington (Casemiro), Cícero e Rivaldo (Carlinhos Paraíba); Marlos (Dagoberto), Lucas e Luís Fabiano.
Em Barueri, Rogério Ceni marca de falta seu centésimo gol da carreira — Foto: Marcos Ribolli / GLOBOESPORTE.COM

Em Barueri, Rogério Ceni marca de falta seu centésimo gol da carreira — Foto: Marcos Ribolli / GLOBOESPORTE.COM

12º – 2015

Acesso gratuito

Faça seu login grátis e tenha acesso ilimitado às exclusividades Globoesporte

Adeus do M1to: saiba como foi a noite de despedida de Rogério Ceni do futebol

Adeus do M1to: saiba como foi a noite de despedida de Rogério Ceni do futebol

O ano de maior turbulência do São Paulo na década fora do gramado, com denúncias de corrupção, gravações de conversas privadas, briga entre dirigentes e renúncia do presidente Carlos Miguel Aidar. Em campo, o Tricolor acumulou mais uma temporada na fila. O ídolo Rogério Ceni se aposentou no fim da temporada com um evento inesquecível para os torcedores no Morumbi.

  • Brasileiro: 4º
  • Copa do Brasil: semifinal
  • Libertadores: Oitavas de final
  • Paulistão: 4º
  • Time-base (quem mais jogou no ano): Rogério Ceni, Bruno, Rodrigo Caio, Lucão e Reinaldo (Carlinhos); Hudson, Thiago Mendes, Michel Bastos (Centurión) e Paulo Henrique Ganso; Alexandre Pato e Luís Fabiano.

11º – 2009

Por pouco o Tricolor não conquistou o tetracampeonato brasileiro consecutivo. O time liderado em campo por Rogério Ceni chegou vivo à última rodada, mas viu o Flamengo levar a taça em campanha de recuperação. Houve muita reclamação dos são-paulinos ao longo do campeonato pelas suspensões do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) a jogadores importantes, como por exemplo Dagoberto, Borges e Jean.

  • Brasileiro: 3º
  • Libertadores: quartas de final
  • Paulistão: 4º
  • Time-base (quem mais jogou no ano): Rogério Ceni, Renato Silva (Rodrigo), André Dias e Miranda; Jean (Zé Luis), Hernanes, Richarlyson, Jorge Wagner e Júnior César; Dagoberto e Washington (Borges).

10º – 2004

Danilo, Grafite e Fabão fizeram mesmo caminho de Cuca: do Goiás para o São Paulo — Foto: Editoria de Arte

O elenco montado por Cuca com uma base de jogadores do Goiás foi longe na Libertadores. O Tricolor de Cicinho, Fabão, Gustavo Nery, Fábio Simplício, Danilo, Grafite e Luis Fabiano caiu diante do Once Caldas, com um gol aos 45 minutos do segundo tempo.

  • Brasileiro: 3º
  • Libertadores: semifinal
  • Sul-americana: oitavas
  • Paulistão: 5º
  • Time-base (quem mais jogou no ano): Rogério Ceni, Fabão, Lugano e Rodrigo; Cicinho, Renan (Fabio Simplício), Josué, Danilo e Fábio Santos (Gustavo Nery ou Júnior); Grafite e Luis Fabiano.

9º – 2003

Lugano é apresentado pelo presidente Marcelo Portugal Gouvea, em 2003 — Foto: Divulgação / São Paulo

Lugano é apresentado pelo presidente Marcelo Portugal Gouvea, em 2003 — Foto: Divulgação / São Paulo

Mais um ano que não pode ser lembrado por títulos. O time até chegou perto no Paulista, mas foi derrotado pelo Corinthians na final. Foi em 2003, porém, que o então presidente Marcelo Portugal Gouvêa fez um contratação polêmica, sem consultar o treinador Oswaldo de Oliveira. Um zagueiro uruguaio, de 22 anos, reserva do Nacional, desconhecido. Diego Lugano mudaria esse status nos anos seguintes.

  • Brasileiro: 3º
  • Copa do Brasil: quartas de final
  • Sul-americana: semifinal
  • Paulistão: vice-campeão
  • Time-base (quem mais jogou no ano): Rogério Ceni, Gabriel, Jean, Julio Santos (Lugano) e Gustavo Nery (Fabiano); Alexandre, Fabio Simplício, Carlos Alberto e Ricardinho; Diego Tardelli e Luis Fabiano.

8º – 2014

Kaká, Luis Fabiano e Ganso em treino do São Paulo em 2014 — Foto: Marcelo Prado

Kaká, Luis Fabiano e Ganso em treino do São Paulo em 2014 — Foto: Marcelo Prado

Com Kaká, Luis Fabiano e Alexandre Pato, o torcedor do São Paulo sonhou. Mas as taças não vieram. No Brasileiro, o time chegou a incomodar o Cruzeiro, mas não foi o suficiente para tirar o bicampeonato dos mineiros. Uma consolação: o ídolo Rogério Ceni, que se aposentaria no fim daquele ano, decidiu adiar o fim da carreira por uma temporada a mais.

  • Brasileiro: 2º
  • Copa do Brasil: terceira fase
  • Sul-Americana: Semifinal
  • Paulistão: 6º
  • Time-base (quem mais jogou no ano): Rogério Ceni, Hudson, Rafael Toloi, Antonio Carlos (Edson Silva) e Álvaro Pereira; Denilson, Souza, Kaká e Paulo Henrique Ganso; Alexandre Pato (Alan Kardec) e Luis Fabiano.

7º – 2002

Acesso gratuito

Faça seu login grátis e tenha acesso ilimitado às exclusividades Globoesporte

Melhores momentos de São Paulo 1 x 2 Santos, pelo Campeonato Brasileiro de 2002

Melhores momentos de São Paulo 1 x 2 Santos, pelo Campeonato Brasileiro de 2002

Foi um ano de derrotas amargas para o São Paulo. O vice-campeonato no Rio-São Paulo, contra o Corinthians, que também derrubou o Tricolor nas semifinais da Copa do Brasil. No Brasileiro, após fazer a melhor campanha da primeira fase, eliminação para o Santos de Diego e Robinho. Teve um título, porém: o Supercampeonato Paulista, uma disputa entre os melhores paulistas do Rio-São Paulo e os melhores do Paulista, disputado sem o grandes naquele ano. Bateu o Ituano na final.

  • Brasileiro: 5º
  • Copa do Brasil: semifinal
  • Copa dos Campeões: fase de grupos
  • Rio São-Paulo: Final
  • Supercampeonato Paulista: campeão
  • Time-base (quem mais jogou no ano): Rogério Ceni, Gabriel, Jean, Ameli (Julio Santos) e Jorginho Paulista; Maldonado, Fabio Simplício, Ricardinho e Kaká; Reinaldo e Luis Fabiano.

6º – 2001

Acesso gratuito

Faça seu login grátis e tenha acesso ilimitado às exclusividades Globoesporte

Em 2001, revelação Kaká comanda São Paulo na conquista do Torneio Rio-São Paulo

Em 2001, revelação Kaká comanda São Paulo na conquista do Torneio Rio-São Paulo

Os são-paulinos não esquecem aquele garoto ainda franzino que entrou em campo no Morumbi e brilhou na final do Rio-São Paulo contra o Botafogo. O único título do Tricolor na temporada serviu para revelar ao mundo aquele que seria um dos principais jogadores dos próximos anos, Kaká, eleito o melhor do planeta em 2007 pela Fifa.

  • Brasileiro: 7º
  • Copa do Brasil: quartas de final
  • Copa dos Campeões: vice-campeão
  • Mercosul: fase de grupos
  • Rio-São Paulo: campeão
  • Paulistão: 8º
  • Time-base (quem mais jogou no ano): Rogério Ceni, Belletti, Emerson, Reginaldo (Júlio Santos ou Wilson) e Gustavo Nery; Fabio Simplício, Júlio Baptista, Adriano (Leonardo) e Kaká; França e Luis Fabiano.

5º – 2012

Acesso gratuito

Faça seu login grátis e tenha acesso ilimitado às exclusividades Globoesporte

São Paulo é campeão da Copa Sul-Americana

São Paulo é campeão da Copa Sul-Americana

Foi o ano do último título do Tricolor neste século, a Copa Sul-Americana. O duelo contra o Tigre, da Argentina, nem terminou – o rival se recusou a voltar para o segundo tempo depois de uma confusão no intervalo. A taça foi erguida por Lucas Moura, que se despedia do clube a caminho do PSG.

  • Brasileiro: 4º
  • Copa do Brasil: semifinal
  • Sul-Americana: campeão
  • Paulistão: 3º
  • Time-base (quem mais jogou no ano): Rogério Ceni, Paulo Miranda (Douglas), Rafael Tolói, Rhodolfo e Cortez; Wellington (Maicon), Denílson (Casemiro) e Jadson (Cícero); Osvaldo, Lucas e Luis Fabiano.

4º – 2008

Acesso gratuito

Faça seu login grátis e tenha acesso ilimitado às exclusividades Globoesporte

Goiás x São Paulo pela última rodada do Brasileirão 2008

Goiás x São Paulo pela última rodada do Brasileirão 2008

Muricy Ramalho se tornou o Rei dos pontos corridos num campeonato bem mais difícil do que o do ano anterior. O tri do Brasileiro, desta vez, veio apenas na última rodada, um gol de Borges contra o Goiás no Distrito Federal.

  • Brasileiro: campeão
  • Libertadores: quartas de final
  • Sul-Americana: 1ª fase
  • Paulistão: 3º
  • Time-base (quem mais jogou no ano): Rogério Ceni, Rodrigo, André Dias e Miranda; Jancarlos (Joílson), Richarlyson, Hernanes, Jorge Wagner (Hugo) e Júnior (Jorge Wagner); Dagoberto e Borges.

3º – 2007

Acesso gratuito

Faça seu login grátis e tenha acesso ilimitado às exclusividades Globoesporte

Em 2007, São Paulo e Botafogo empatam em 2 a 2 pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro

Em 2007, São Paulo e Botafogo empatam em 2 a 2 pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro

Com uma defesa que sofreu apenas 19 gols em 38 jogos, o São Paulo venceu mais uma vez o Campeonato Brasileiro com uma incrível campanha. Na Libertadores, queda precoce, ainda nas oitavas de final.

  • Brasileiro: campeão
  • Libertadores: oitavas
  • Sul-Americana: quartas de final
  • Paulistão: 3º
  • Time-base (quem mais jogou no ano): Rogério Ceni, André Dias, Breno e Miranda; Souza (Leandro), Richarlyson, Hernanes, Jorge Wagner e Júnior; Dagoberto e Aloísio Chulapa (Borges).

2º – 2006

Acesso gratuito

Faça seu login grátis e tenha acesso ilimitado às exclusividades Globoesporte

Em 2006, São Paulo empata com Atlético-PR e conquista o tetracampeonato brasileiro

Em 2006, São Paulo empata com Atlético-PR e conquista o tetracampeonato brasileiro

O Ano 2 da soberania tricolor no início do século. O São Paulo foi vice-campeão paulista e da Libertadores, derrotado pelo Internacional. No Brasileiro, porém, venceu a primeira das três taças que levantaria consecutivamente, feito até hoje inédito no torneio.

  • Brasileiro: campeão
  • Libertadores: vice-campeão
  • Recopa Sul-Americana: vice-campeão
  • Paulistão: vice-campeão
  • Time-base (quem mais jogou no ano): Rogério Ceni, Ilsinho, Fabão, Miranda e Júnior; Mineiro, Josué, Souza e Danilo; Leandro e Aloísio Chulapa.

1º (melhor ano) – 2005

Infelizmente, não foi possível encontrar um vídeo compatível com o seu dispositivo.

Acesso gratuito

Faça seu login grátis e tenha acesso ilimitado às exclusividades Globoesporte

Em 2005, São Paulo ganhava o tricampeonato mundial

Em 2005, São Paulo ganhava o tricampeonato mundial

A defesa de Rogério Ceni em falta batida por Gerrard virou quadro, camiseta e cena definitiva do que se tornaria o mais brilhante ano do São Paulo neste novo século. O tricampeonato mundial, o primeiro brasileiro a alcançar essa glória, coroando a temporada do tri da Libertadores e daquele que seria até aqui o último título do Campeonato Paulista.

  • Brasileiro: 11º
  • Libertadores: campeão
  • Mundial: campeão
  • Sul-Americana: 1ª fase
  • Paulistão: campeão
  • Time-base: Rogério Ceni, Fabão, Lugano e Edcarlos; Cicinho, Mineiro, Josué, Danilo e Júnior; Amoroso (Grafite) e Aloísio Chulapa.