Emerson Sheik explica zoações com o São Paulo e diz ter gratidão ao clube: “Aprendi a ser gente”

546

GloboEsporte

Ídolo do Corinthians começou no futebol na base do Tricolor.

O ídolo do Corinthians Emerson Sheik disse ter gratidão ao São Paulo, clube onde foi formado nas categorias de base. O ex-atacante foi promovido ao profissional no Tricolor no fim da década de 90.

Em entrevista à TV Bandeirantes, nesta sexta-feira, Sheik justificou as repetidas brincadeiras que fazia com o São Paulo quando estava no Corinthians. Após ver uma reportagem com um resumo da sua carreira, ele disse o seguinte:

– Fiquei extremamente feliz de terem colocado o São Paulo. Queria falar do São Paulo. Foi o início da minha carreira. Eu zoei muito o São Paulo. Fiz todas as brincadeiras possíveis, porque acredito que o futebol perdeu essa magia. Tirando o gol, momento mágico da partida, as pessoas deixaram de brincar. Hoje atletas, comissão técnica e até diretoria é punida. Compartilho das brincadeiras porque cresci vendo Romário, Edmundo, Renato Gaúcho brincarem. Vivi isso como torcedor – disse Sheik.

– Foi o São Paulo que abriu as portas para o meu sonho de ser jogador. Ali eu fiz toda a minha base. Ali cresci como ser humano e pessoa. Ali aprendi a ser gente. Eu vim de uma favela. Não sabia nem comer frango com garfo e faca, porque em casa a gente pegava com a mão. Fiquei extremamente emocionado com o São Paulo. Foi ali que eu comecei. Já não sou mais atleta, não tenho mais que zoar o São Paulo. Fazia isso porque era uma brincadeira minha. Gostava de fazer isso. E o São Paulo faz, sim, parte da minha história. E eu ganhei títulos no São Paulo também, tá? Teve um Torneio da Flórida, talvez, um torneio dos Estados Unidos. Então, tenho título pelo São Paulo também. É um título de um torneio curto (risos) – completou Sheik.

Emerson Sheik começou a carreira no São Paulo  — Foto: Reprodução

Emerson Sheik começou a carreira no São Paulo — Foto: Reprodução

Sheik também defendeu Flamengo, Fluminense, Botafogo e Ponte Preta, entre outros clubes do exterior ao longo da carreira. Ele parou de jogar no Corinthians, onde também trabalhou como dirigente e saiu do cargo em 2019.

Emerson Sheik em ação pelo Corinthians em clássico contra o São Paulo — Foto: Marcos Ribolli

Emerson Sheik em ação pelo Corinthians em clássico contra o São Paulo — Foto: Marcos Ribolli

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor entre com seu comentário!
Entre seu nome aqui

catorze − sete =