Relembre: 5 jogadores que começaram bem no São Paulo, mas caíram de produção

450

GazetaEsportiva

Contratado por empréstimo de seis meses em 2016, Maicon rapidamente conquistou a torcida e ganhou o apelido de "God of Zaga". Com isso, a diretoria do São Paulo comprou o zagueiro por 6 milhões de euros (R$ 22 milhões, na época). Porém, ele caiu de rendimento depois da expulsão na semifinal da Libertadores e foi vendido ao Galatasaray no meio de 2017 (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

1/5

Contratado por empréstimo de seis meses em 2016, Maicon rapidamente conquistou a torcida e ganhou o apelido de “God of Zaga”. Com isso, a diretoria do São Paulo comprou o zagueiro por 6 milhões de euros (R$ 22 milhões, na época). Porém, ele caiu de rendimento depois da expulsão na semifinal da Libertadores e foi vendido ao Galatasaray no meio de 2017 (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

Xandão chegou ao São Paulo em 2010, após bom Campeonato Brasileiro pelo Grêmio Barueri, e logo impressionou. No entanto, o zagueiro caiu de produção aos poucos e se tornou um dos principais alvos da torcida no ano seguinte. No início de 2012, deixou o Tricolor para fechar com o Sporting, de Portugal (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

2/5

Xandão chegou ao São Paulo em 2010, após bom Campeonato Brasileiro pelo Grêmio Barueri, e logo impressionou. No entanto, o zagueiro caiu de produção aos poucos e se tornou um dos principais alvos da torcida no ano seguinte. No início de 2012, deixou o Tricolor para fechar com o Sporting, de Portugal (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

Fernandinho foi mais um jogador que chegou ao São Paulo em 2010 depois de se destacar no Grêmio Barueri. Logo em sua estreia, contra o Monte Azul, marcou quatro gols saindo do banco de reservas. Apesar disso, não conseguiu render o esperado e nunca chegou a ser considerado titular absoluto. Foi vendido ao Al-Jazira, dos Emirados Árabes Unidos, em 2012 (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

3/5

Fernandinho foi mais um jogador que chegou ao São Paulo em 2010 depois de se destacar no Grêmio Barueri. Logo em sua estreia, contra o Monte Azul, marcou quatro gols saindo do banco de reservas. Apesar disso, não conseguiu render o esperado e nunca chegou a ser considerado titular absoluto. Foi vendido ao Al-Jazira, dos Emirados Árabes Unidos, em 2012 (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

Contratado em junho de 2016 junto ao Toluca, do México, Cueva se tornou o principal jogador do São Paulo no segundo semestre daquele ano. Ele, inclusive, ganhou a camisa 10 no início da temporada seguinte. Contudo, o meia perdeu protagonismo com a chegada de Hernanes e passou a sofrer com problemas extra-campo, até que foi vendido ao Krasnodar, da Rússia, no meio de 2018 (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

4/5

Contratado em junho de 2016 junto ao Toluca, do México, Cueva se tornou o principal jogador do São Paulo no segundo semestre daquele ano. Ele, inclusive, ganhou a camisa 10 no início da temporada seguinte. Contudo, o meia perdeu protagonismo com a chegada de Hernanes e passou a sofrer com problemas extra-campo, até que foi vendido ao Krasnodar, da Rússia, no meio de 2018 (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

Promovido aos profissionais em 2017, Júnior Tavares se destacou no Campeonato Paulista sob o comando de Rogério Ceni. Porém, o lateral-esquerdo perdeu espaço com a chegada de Dorival Júnior e não conseguiu mais repetir as boas atuações. Atualmente, está emprestado pelo Tricolor ao Portimonense, de Portugal (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

5/5

Promovido aos profissionais em 2017, Júnior Tavares se destacou no Campeonato Paulista sob o comando de Rogério Ceni. Porém, o lateral-esquerdo perdeu espaço com a chegada de Dorival Júnior e não conseguiu mais repetir as boas atuações. Atualmente, está emprestado pelo Tricolor ao Portimonense, de Portugal (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor entre com seu comentário!
Entre seu nome aqui

cinco × 5 =