São Paulo não troca de técnico após eliminação no Paulistão há 48 anos

151

UOL

Rodolfo Rodrigues

Eliminado precocemente no Paulistão pelo Mirassol, em casa, nas quartas de final, o São Paulo voltou a viver um período de turbulência, com críticas ao seus dirigentes e ao trabalho do técnico Fernando Diniz. Nesta quinta-feira (30), um dia após a eliminação, muitos foram os pedidos de demissão do treinador nas redes sociais.

Porém, tradicionalmente, o clube costuma não adotar essa postura após uma eliminação no Campeonato Paulista. Para se ter uma ideia, a última troca de técnico após uma queda no Estadual foi há longos 48 anos, após o vice invicto do Paulistão de 1972, quando Alfredo Ramos deixou o cargo. Desde então, quem dirigiu o tricolor no último jogo do Paulista sempre seguiu no comando do time na sequência da temporada.

Na Libertadores, três técnicos caíram após eliminações, com Muricy Ramalho (2009), Ricardo Gomes (2010) e André Jardine (2019). Mas no Paulistão, a eliminação ou perda de título do São Paulo nunca foi motivo para mudanças bruscas no comando de seus treinadores. Além da troca de Alfredo Ramos, em 1972, apenas outros cinco treinadores não ficaram no comando da equipe. E nenhum deles oficialmente demitido.

Em 1968, Sylvio Pirillo pediu para sair ao final do Estadual, onde foi 4º colocado. Em 1966, Aymoré Moreira, em sua segunda passagem pelo tricolor, também decidiu não ficar depois do 5º lugar no Paulistão. Um ano antes, em 1965, após o São Paulo ficar na 5ª posição, Jim Lopes encerrou o seu contrato, que não foi renovado para 1966.

Em 1940, o uruguaio Ramón Platero, que dirigia o clube pela segunda vez, também não ficou no time ao final do Paulistão em que o time ficou na 6ª colocação. Seu último jogo pelo clube foi no dia 22 de dezembro de 1940. Mas não há registro de que ele tenha sido demitido. Já em 1931, Rubens Salles, por vontade própria, saiu após o título, conquistado no início de 1932.

Por conta dessa dúvida sobre 1940 e também por não haver registro do técnico que dirigiu o clube no estadual de 1930, não é possível cravar que o São Paulo nunca demitiu um treinador após o Paulistão em seus 90 anos de história. Mas Fernando Diniz poderá ser o primeiro técnico demitido após uma eliminação, pelo menos, nos últimos 80 anos. Treinadores do São Paulo na história do Campeonato Paulista.

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor entre com seu comentário!
Entre seu nome aqui

sete + vinte =