Números do São Paulo nos últimos 15 jogos vão de mal a pior; confira

37

GazetaEsportiva

O São Paulo figura em queda livre nos últimos 15 jogos. Com números bastante desfavoráveis, o Tricolor tenta dar a volta por cima nesta nova temporada que se inicia, sob o comando de um novo treinador, indo em busca de reforços e se desfazendo de outros atletas.

Das últimas 15 partidas que disputou, o São Paulo venceu apenas três, foi derrotado em seis oportunidades e empatou outras cinco vezes entre Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil, um aproveitamento de nada mais, nada menos que 31,1%. Vasco e Goiás, que foram rebaixados para a Série B, terminaram o Brasileirão com um aproveitamento de 36% e 32,5%, respectivamente.

A defesa vem sendo o calcanhar de Aquiles do São Paulo. Neste período de 15 jogos, o Tricolor sofreu 22 gols, sendo duas goleadas, uma contra o Red Bull Bragantino, por 4 a 2, e outra contra o Internacional, por 5 a 1, em pleno Morumbi, em duelo que valia a liderança do Campeonato Brasileiro.

No último domingo, mesmo com um esquema com três zagueiros, contra o Botafogo-SP, o São Paulo novamente tomou um gol bastante evitável. Logo aos dois minutos do segundo tempo, em jogada de contra-ataque, Marlon recebeu lançamento nas costas de Léo, improvisado na zaga, e cruzou no segundo pau para Dudu completar de carrinho

O péssimo desempenho surpreende justamente pelo fato de até poucos meses atrás o Tricolor ser dono da melhor defesa do Campeonato Brasileiro, se aproximando de repetir o feito de 2019, quando terminou a competição como a equipe menos vazada. Mas, na reta final da temporada de 2020, o trem descarrilhou, e, aparentemente, Hernán Crespo terá muito trabalho para recolocá-lo nos trilhos.

Mas, não é apenas a defesa que vem deixando a desejar. O rendimento do ataque também não é nada bom. Nos últimos 15 jogos, o São Paulo marcou exatamente 15 gols, média que não dá margem para a equipe ser vazada caso queira sair de campo com a vitória.

Justamente por isso, Crespo vem treinando sua equipe até mesmo em dias de jogo, horas antes de a bola rolar, comandando trabalhos táticos e de bola parada. O diálogo com os jogadores também vem sendo importante. Com pouco tempo entre as partidas e sem pré-temporada, o treinador argentino e sua comissão técnica têm pela frente uma missão desafiadora.

Luciano em treino do São Paulo — Foto: Divulgação São Paulo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor entre com seu comentário!
Entre seu nome aqui

4 × 3 =