Opinião: já passou da hora de o São Paulo mudar o discurso e assumir que briga é contra o rebaixamento

62

GloboEsporte

Eduardo Rodrigues 

Tricolor não pode deixar que euforia de empate contra o Fortaleza tire foco de objetivo.

O golaço de falta marcado por Martín Benítez aos 47 minutos do segundo tempo que salvou o São Paulo de mais uma noite desastrosa no Campeonato Brasileiro, na última quarta-feira, contra o Fortaleza, não pode apagar o péssimo momento que a equipe vive.

Publicidade

Esse gol não pode iludir novamente o torcedor com a ideia de que esse elenco irá brigar por uma vaga na próxima Libertadores. Já passou da hora de o São Paulo acordar para a realidade e assumir que o seu campeonato é contra o rebaixamento.

É certo que a distância do Tricolor – que foi aos 38 pontos – para os oito primeiros colocados é menor do que a diferença para a zona de rebaixamento. No entanto, o time deu diversas amostras nessas 31 rodadas de que não se pode esperar muito.

Desde que o Brasileirão começou, o São Paulo não conseguiu ficar entre os dez primeiros colocados nenhuma vez sequer. Toda rodada em que tinha a possibilidade de engrenar e escalar na tabela, a equipe decepcionava.

São Paulo comemora empate nos acréscimos contra o Fortaleza — Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

São Paulo comemora empate nos acréscimos contra o Fortaleza — Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

No ataque, a situação é caótica. Mesmo com nomes como os de Calleri, Rigoni e Luciano, o Tricolor marcou apenas 24 gols e tem o segundo pior desempenho ofensivo do torneio, à frente apenas do Sport, que fez 19 gols até aqui.

Além dos números ruins, a postura da equipe não inspira nenhuma confiança. Nos últimos dois jogos fora de casa – Bahia e Fortaleza – o que se viu foi um São Paulo apático, pouco criativo e com muitas dificuldades na parte defensiva.

A famosa “falta de tempo” para treinar não foi um problema, já que Rogério Ceni teve pelo menos três semanas livres entre um jogo e outro para corrigir falhas desde que assumiu a equipe. Mas parece que ele ainda não conseguiu fazer muita coisa além do que Crespo já vinha fazendo.

A esperança por dias melhores fica ainda mais complicada quando o clube olha para os próximos confrontos. No domingo, o adversário é o terceiro colocado Flamengo, no Morumbi. Na próxima quarta, o rival é o vice-líder e engrenado Palmeiras, no Allianz Parque.

A Voz da Torcida – Caio: “Jogo ruim, mas o empate traz um sentimento parecido com alegria”

A “pontuação mágica” para permanecer na Série A na média dos últimos torneios é de 45 pontos. Com 38 pontos neste momento, o São Paulo precisaria de mais sete em 21 pontos que ainda tem em disputa.

Não é uma marca difícil de se alcançar, mas se não conseguir pontuar nos próximos dois jogos a situação pode começar a se complicar.

Veja abaixo as últimas sete rodadas do Tricolor no Brasileirão:

  • São Paulo x Flamengo
  • Palmeiras x São Paulo
  • São Paulo x Athletico
  • Grêmio x São Paulo
  • São Paulo x Sport
  • São Paulo x Juventude
  • América-MG x São Paulo
Bruno Alves e Miranda em Fortaleza x São Paulo — Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

Bruno Alves e Miranda em Fortaleza x São Paulo — Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

Isto posto, crer em uma vaga na Libertadores nesse momento, mesmo com a possibilidade de um G-9, é utopia.

Diretoria, comissão técnica e jogadores devem deixar de lado o ar de soberania de um clube que nunca foi rebaixado e ter sempre em mente que time grande cai, sim.

LEIA TAMBÉM: