Análise: São Paulo paga preço por recuo no 2º tempo e segue sem vencer em Itaquera

37

GazetaEsportiva

O São Paulo perdeu uma grande chance de quebrar o tabu de nunca ter vencido na Neo Química Arena. Neste domingo, o Tricolor ficou no empate de 1 a 1 com o Corinthians, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro.

Apesar de ter levado um ponto para casa, a equipe do técnico Rogério Ceni deixou o estádio com um gosto amargo. Isso porque o time fez um ótimo primeiro tempo.

Depois de sofrer um pouco nos primeiros minutos, os visitantes passaram a tomar conta do Majestoso a partir dos 15 minutos, quando Alisson obrigou Cássio a fazer a sua primeira defesa difícil do embate.

Publicidade

O São Paulo subiu as suas linhas e passou a marcar o Corinthians no campo de ataque. Com a pressão, os donos da casa não conseguiam nem sequer rondar a área de Jandrei. E roubando a bola no setor ofensivo, a chance de criar chances reais de gol aumenta.

Ao todo, foram seis grandes oportunidades de abrir o placar, mas apenas uma bola entrou (o resto parou em milagres do goleiro corintiano, que saiu de campo como o grande destaque do clássico). Com 50 minutos, Calleri recebeu cruzamento de Alisson, dominou e bateu firme para balançar a rede.

Após um primeiro tempo quase perfeito, no entanto, o Tricolor caiu de rendimento na etapa final. Na volta do intervalo, Ceni fez três mudanças. Rafinha no lugar de Igor Vinicius, Patrick no de Reinaldo e Éder no de Luciano. Assim, a equipe deixou a linha de cinco defensores para atuar com quatro homens na defesa, com os pontas auxiliando os laterais nas beiradas de campo.

A ideia do técnico era espelhar o esquema de Vítor Pereira. Acontece que não deu certo. O São Paulo recuou demais, passou a sofrer e pouco chegou ao ataque no segundo tempo. E o preço acabou sendo alto. Com 34 minutos, Piton achou um espaço nas costas de Rafinha e cruzou na medida para Adson marcar de cabeça e decretar o empate. No fim, Igor Gomes teve uma chance de ouro para recolocar os visitantes na frente, mas parou em mais um milagre de Cássio.

“Achei que a linha de quatro funcionava melhor. Eles tiveram mais posse de bola, mais controle do jogo, olhei todo segundo tempo agora, não teve uma grande chance real de gol. Tiveram mais volume, não tiveram chances reais. Fizemos um primeiro tempo excepcional, poderíamos ter feito dois ou três gols, essa é a realidade do jogo. A mudança abrindo os jogadores, na minha concepção, seria melhor. Uma pena não ter saído vitorioso hoje, o São Paulo merecia”, disse Ceni.

Agora, são 16 clássicos sem vitórias em Itaquera, com 10 derrotas e seis empates.

LEIA TAMBÉM: