Veja por que Nenê se tornou o maestro do São Paulo de Diego Aguirre

0
850

GloboEsporte.com

Leandro Canônico

Meia é o principal responsável pela evolução do Tricolor nesta temporada.

 

Quem vê Nenê sair de campo ovacionado pela torcida do São Paulo, como no triunfo de terça-feira sobre o Vitória, pode não lembrar, mas sua contratação não foi aprovada pelo então técnico Dorival Júnior. Só que a trajetória do meia no Tricolor mudou completamente sob o comando de Aguirre.

O uruguaio bancou Nenê como titular e fez do meia o maestro do time no Campeonato Brasileiro. A comparação dos números do camisa 7 com cada um dos treinadores (incluindo a passagem de André Jardine como interino) ajuda a mostrar isso.

Nenê com Dorival Júnior

  • 9 jogos
  • 5 como titular
  • 4 como reserva
  • 2 gols

Nenê com o interino André Jardine

  • 1 jogo como titular
  • nenhum gol

Nenê com Diego Aguirre

  • 19 jogos
  • 17 como titular
  • 2 como reserva
  • 8 gols

Depois da vitória de terça-feira, Nenê falou sobre o bom momento do São Paulo, que terminou essa primeira parte do Brasileirão, antes da pausa para a Copa do Mundo, com 23 pontos e fica, no mínimo, na terceira colocação. Dependendo dos resultados desta quarta-feira, pode ser vice-líder.

– Com certeza está na nossa mente a briga pela liderança. Temos de continuar com humildade, temos muito a melhorar, mas cumprimos a nossa meta nessa etapa. Era vital para gente ir tranquilo para essa parada – comentou Nenê.

Os gols de São Paulo 3 x 0 Vitória pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro

Os gols de São Paulo 3 x 0 Vitória pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro

Veja abaixo por que Nenê se tornou a estrela do Tricolor:

Cérebro do time

Sob o comando de Diego Aguirre, Nenê tem total liberdade para ser o principal articulador das jogadas. E o esquema montado pelo uruguaio beneficia o estilo de jogo do camisa 7, com muita habilidade e velocidade. Os principais lances de perigo do time têm Nenê envolvido.

Artilheiro da temporada

Com dez gols em 29 jogos pelo São Paulo, Nenê é o homem da bola parada do Tricolor (são quatro gols de pênalti e um de falta). Mas ele também tem aparecido com perigo na grande área e utiliza do bom poder de finalização para arriscar de fora da área também.

Parceria com Everton e Diego Souza

Nenê, claramente, ajudou na recuperação de Diego Souza e na adaptação de Everton ao São Paulo. Mas os dois também colaboraram para o crescimento do camisa 7 na temporada. Tanto que dos 18 gols marcados pelo Tricolor no Brasileirão, apenas em dois nenhum deles teve participação.

Ambiente tranquilo

Não é só dentro de campo que Nenê tem feito a diferença. Nos bastidores, o meia também tem atuação importante com os demais jogadores. Ele tem sido um elo entre todos no grupo, e o clima está bom entre os jogadores. Os resultados têm ajudado, claro.

Recuperação física

Aos 36 anos, Nenê toma cuidados especiais para manter a forma física e o forte ritmo nas partidas. O meia faz um tratamento para a recuperação de fibras após os jogos com um aparelho que dá choques no corpo. Ele faz isso desde os tempos de Vasco.

Comentários

comentários