Rogério é o passado e será o grande futuro do São Paulo

373

ESPNFC.com,br

Caíque Toledo

Gazeta Press
Que homem

 

Aos fatos: se contar qualquer campeonato que não seja torneio amistoso, o São Paulo Futebol Clube é, entre os 12 ‘principais’ clubes do Brasil, quem está mais tempo sem levantar uma taça. A última foi em 2012, a Sul-Americana. Antes disso, a época que dominamos o Brasil, ganhamos a América e o Mundo. Já faz tempo.

 

Não importa se tem time por aí que ganhou tal de Primeira Liga, outro que ganhou estadual, outro que ganhou Copa do Brasil. O São Paulo ser acostumou a ser um time vencedor, e aceitar a situação, mesmo que o jejum pareça pequeno, não condiz com o tamanho da instituição.

 

Dito isso, é hora de tentar fazer as coisas mudarem. Rogério Ceni foi apresentado nesta quinta-feira como novo técnico da equipe e, como aquela bola parada no último minuto do jogo, nos dá uma esperança de que tudo pode melhorar. Lúcido, bem informado, com paixão pelo time e com tesão por vencer, nosso técnico tem tudo para ser o líder que precisamos.

 

Rogério é chato, metódico, e, para muitos, presunçoso e arrogante. Ao menos se faz parecer, diante da carreira brilhante que teve. Em todo caso, quem o acompanha diariamente não poupa elogios. Quem o vê falando sobre táticas e conceitos, baba. Ele sabe o que está fazendo. Já sabia quando estava em campo, sabe mais agora. É difícil precisar, mas Rogério tem tudo para ser um grande treinador.

 

O momento são-paulino não é fácil. Fora o período sem títulos, o time passa por problemas estruturais e políticos. Como eu disse no dia do anúncio, é até perigoso que Ceni assuma o clube numa condição de risco como essa, o que pode prejudicar não sua idolatria e seu nome, mas o início de sua promissora carreira. Mas quero acreditar que ele não entraria nessa se não confiasse plenanamente no que está fazendo.

 

Disse Renato Gaúcho, ao conquistar ontem a Copa do Brasil, que ‘quem precisa aprender, estuda, vai para a Europa. Quem não precisa vai pra praia’ e que ‘quem sabe, sabe, e quem não sabe, vai estudar’. Em partes, Portaluppi: Rogério, que sempre teve liberdade e competência para ser um líder e até um auxiliar dentro de campo, é um cara com sede de vitórias e de conhecimento. Se o convite não viesse agora, com certeza ainda estaria estudando para se tornar ainda melhor. Para se tornar o que o São Paulo precisa para sair dessa situação.

 

A entrevista de apresentação de Rogério é empolgante. Fala com propriedade da base, garante que quer usar os garotos, fala de esquemas táticos, de suas experiências na Europa e de sistemas de treinos compactados e campos reduzidos. Diante das falácias que vemos por aí em entrevistas coletivas de outros treinadores, é um achado não só para o São Paulo, mas para o futebol brasileiro.

 

Em campo, aposto que seu estilo será semelhante ao de Osorio – o mais elogiado na coletiva. Um time rápido, com campo aberto, com pressão quando perder a bola, recomposição dos pontas, intensidade dos volantes, toque e controle de bola. Muitos podem torcer o nariz puramente por não gostarem de Ceni, talvez por tê-lo visto ganhar tudo. Deve irritar, eu imagino. Mas, em sã consciência, não há como negar que sua carreira é promissora.

 

Rogério Ceni esteve em campo nos últimos títulos do São Paulo. Foi destaque e melhor jogador de alguns dos principais. É o jogador que mais vezes vestiu a camisa de um mesmo clube, que mais vezes venceu e que mais vezes foi capitão de uma mesma equipe no futebol mundial. É recordista e apaixonado. Rogério é boa parte do passado são-paulino e, agora, será responsável pelo futuro.

 

Boa sorte, mito. Seja o responsável por nos tirar da crise, mais uma vez. Seja o homem que vai nos liderar para ‘voltar às glórias’, como frisou. Aliás, como você mesmo disse, quando o São Paulo chama, o coração não deixa recusar. Apoio do lado de cá não vai faltar, Rogério. E, com certeza, competência também não.

2 COMENTÁRIOS

  1. Eu já o critiquei muito principalmente por achar que deveria ter parado antes como jogador, mas agora eu estou aqui pra apoiá-lo como técnico e torcer que realmente você consiga colocar o nosso São Paulo no rumo da vitórias e voltar a ser vencedor.
    Sei que da sua parte não faltará esforço e dedicação só espero que esse fraco atual elenco absorva a sua gana de vencer.
    Com certeza estarei torcendo e criticando também quando achar necessário, de toda forma Boa sorte, RC nessa tarefa árdua que vem pela frente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor entre com seu comentário!
Entre seu nome aqui

20 + 2 =