Muricy condena mudanças frequentes e diz: “Cuca sabe o que vai enfrentar”

598

GazetaEsportiva.net

Resultado de imagem para Muricy condena mudanças frequentes e diz: “Cuca sabe o que vai enfrentar”

Muricy Ramalho se mostrou um tanto quanto avesso à mais uma mudança no São Paulo. Desde que o técnico Vagner Mancini assumiu o comando da equipe de maneira interina, o time passou a jogar com uma linha defensiva composta por três zagueiros, formação que não era usada há bastante tempo pelo Tricolor e vista com uma certa desconfiança pelo ídolo do clube.

“Que tipo de jogo o São Paulo faz? Agora é com três zagueiros, três zagueiros com ala. Então, eles deviam fazer um churrasco, se unir e conversar, ir mais profundo. Estão tomando decisões e não sabem se vão dar certo. A maioria das vezes não vai dar certo. Agora, eles têm que reconhecer que não estão fazendo a coisa certa e não se apegar a essa coisa fácil de que quando não está bem manda o técnico embora”, disse Muricy em entrevista exclusiva à TV Gazeta.

“Eu acho que eles têm que encontrar um pensamento do que o São Paulo é como time de futebol, que tipo de jogo eles quem e, a partir daí, encontrar um treinador que se enquadra nesse estilo de jogo. O Raí tinha boas ideias, mas foram se perdendo essas boas ideias. Faz dez anos que o São Paulo não vence um título importante e a gente não sabe como joga o São Paulo”, completou.

Apesar das críticas e da desconfiança, Muricy Ramalho se mostrou otimista em relação ao retorno de Cuca ao São Paulo. Foi o treinador quem construiu a equipe que se sagrou campeã paulista, da Libertadores e do Mundial em 2005. Um ano antes, levou o Tricolor até a semifinal do torneio sul-americano após o clube ficar dez anos sem disputá-lo.

Apresentado oficialmente dias depois da demissão de Jardine, Cuca só assumirá o São Paulo em meados de abril graças a um tratamento cardiológico. Após passar por problemas parecidos, Muricy Ramalho crê que o novo técnico tricolor precisará se policiar bastante para que seu coração não se torne novamente uma dor de cabeça, haja visto a péssima fase do Tricolor neste primeiro semestre. “Tem que conversar com o cardiologista dele, porque ele sabe que não vai ter sossego. Ali o batimento dele vai lá em cima e ele sabe disso, sabe o que vai enfrentar. O nome é muito bom, o modelo eu não gostei muito, porque o São Paulo precisa de um treinador para ontem, não para daqui a dois meses”, pontuou.

“Convenceram o Mancini, mesmo o Mancini não querendo, e aí acho que fizeram correto. O Mancini tem capacidade e vai trabalhar na sequência como coordenador, é parceiro do Cuca. O Cuca terá um vestiário forte, porque é um cara que tem experiência, vai ter condição de falar não para as pessoas, porque tem títulos, bagagem, e a torcida olha diferente para um técnico desse. A torcida do São Paulo está muito desconfiada, é difícil. Se fosse para ontem, eu acharia melhor, mas como é daqui a dois meses, tem que torcer para o Cuca chegar com o coração bem forte”, finalizou.

1 COMENTÁRIO