Como o projeto de separação entre futebol e clube social caminha no SPFC

713

UOL

Arthur Sandes, Flávio Latif e José Eduardo Martins

Rodrigo Maia acompanha o treino do São Paulo ao lado de Lugano, Raí, Marco Aurélio Cunha e Leco - José Eduardo Martins/UOL

A presença do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, no treino de ontem (12) do São Paulo chamou a atenção da imprensa. Na pauta da conversa entre o político e o mandatário do Tricolor paulista, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, estava a estruturação de um projeto de lei que visa a transformar os clubes em empresas. Coincidência ou não, o time do Morumbi tem em andamento um plano para separar o clube social do futebol.

Como previa o estatuto são-paulino, foi montado um estudo para o assunto. Nomeados pelo presidente, José Francisco Manssur e Rodrigo Rocha Monteiro de Castro iniciaram a elaboração do projeto. Em agosto de 2017, eles apresentaram um plano de ação para o Conselho de Administração. Na sequência, a consultoria Deloitte avaliou os ativos do clube e o impacto fiscal causado pelo processo de separação do social e do futebol.

Já em abril do ano passado, durante reunião do Conselho de Administração, José Eduardo Mesquita Pimenta, ex-presidente e opositor de Leco nas últimas eleições, fora nomeado para presidir a comissão que analisaria o caso. Segundo apurou o UOL Esporte, o dirigente considerou inviável o projeto em seu formato original por causa de questões tributárias.

Após algumas alterações, o processo agora deve ser colocado para a avaliação do Conselho de Administração. O presidente Leco já se mostrou favorável a aprová-lo. Caso o estudo receba o sinal verde no órgão, ainda será levado para apreciação dos Conselhos Consultivo e Deliberativo. Para finalmente ser colocado em prática, ainda terá de ser sancionado em assembleia geral, o que aconteceria em até 60 dias após a votação no Conselho Deliberativo.

É importante destacar que o estudo do São Paulo não depende da aprovação do projeto de lei apresentado por Maia, que visa a transformar os clubes em empresas. São casos que correm em paralelo. No entanto, se aprovada, a proposta do deputado deve contribuir para andamento do processo tricolor de separar o social do futebol.

Visita de Rodrigo Maia O conselheiro vitalício do Tricolor paulista e hoje coordenador de seleções femininas da CBF, Marco Aurélio Cunha, ajudou a intermediar o contato do político com os dirigentes do São Paulo. Na última semana, Rodrigo Maia esteve na sede da Confederação, no Rio de Janeiro, e conversou com o secretário da entidade, Walter Feldman, e Marco Aurélio. Na ocasião, foi apresentada a oportunidade de ele visitar o São Paulo e conversar com o executivo de futebol, Raí, sobre o projeto.

Por isso, ficou acertado que Maia iria ao CT da Barra Funda ontem, durante o treino da equipe. O político ainda ficou reunido com dirigentes do São Paulo por cerca de três horas.