Além das 4 linhas – No topo!

755

Quando analiso a montagem do elenco do SPFC fico tentando imaginar o que pensava a
diretoria. Agora, alguns meses depois, também fico tentando imaginar o que eles podem estar pensando sobre cada contratação e os resultados. Eles esperavam tamanho sucesso?

Eu não consigo acreditar, por mais que os caras entendam de futebol, que eles imaginavam ver Reinaldo jogando tão bem, Nene jogando tão bem, Rojas jogando bem e o Diego também. Tem jogador que dava para imaginar, como Anderson, Jucilei, Hudson e Everton. O Bruno Peres tem história, até dava para imaginar também. Mas a contratação do Bruno Silva foi surpresa total. Enfim, como imaginar que dariam certo e ainda dariam liga, ou seja, formariam um time de verdade. Isso é muito bacana de ver.

Rapaziada, o elenco foi formado, deu certo e o clube lidera o campeonato por pontos corridos mais competitivo do mundo. Isso é demais! Mas imaginar que o time estaria na liderança jogando bom futebol e encontrando um caminho duvido que alguém imaginou! Nem a diretoria que sabe o que faz. Até por isso, pela surpresa da liderança, que vejo o elenco com algumas carências. Eles e todo mundo imaginavam vaga para a libertadores, o que seria bom demais diante dos últimos tenebrosos anos.

Agora é administrar o elenco enxuto dando as melhores condições a cada jogador para
agüentar a maratona brasileira. Veja que nesta semana podemos não contar com Everton,
Rojas e Bruno Peres possivelmente. Os três são titulares e importantes. Os três não possuem reserva a altura. Os casos mais dramáticos são as ausências de reservas para Nene e Everton. Por isso acredito que o plano era vaga para a libertadores e não disputar o título. Como escrevi semana passada, queria ver no Rojas o Macedo de 92 e 93. Macedo que entrava quase todo jogo e mudava tudo, assim como Juninho Paulista, o reserva de luxo do terror do Morumbi, o Raí. Na verdade o Marcos Guilherme seria bom hoje.

Muito interessante também os dados estatísticos sobre os campeonatos brasileiros disputados por pontos corridos. Nunca um vice campeão fez mais do que 72 pontos. E todos os campeões confirmaram seus títulos quando fizeram 77 pontos. A maior pontuação de 2005 até hoje é 81 pontos e a menor de um campeão é 67 pontos. Se o SPFC vencer todas as partidas que restam quando jogar em casa e empatar todas as partidas que jogar fora de casa fará 76 pontos. Tem chances reais de fazer isso.

Mas ainda não é hora de comemorar nada além da boa campanha. O jogo só acaba quando o juiz termina. Por isso vale a torcida, a fé e a energia positiva. O time sofreu uma oscilação mas todo mundo também perdeu pontos. Com exceção do Internacional, os demais possuem foco duplo ou triplo. Vamos São Paulo!

Salve o tricolor paulista, o clube da fé.

Carlito Sampaio Góes é advogado, trabalha como representante comercial, frequenta o Morumbi desde 1977 e prefere o time que vence ao time que joga bonito. Escreve nesse espaço todas as quintas-feiras.

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.

1 COMENTÁRIO