Além das 4 linhas – Caminhos

548

Eu não sei se para vender notícias e chamar a atenção do leitor/torcedor ou simplesmente por falta de assunto, mas aparece cada coisa furada nos veículos de comunicação que a gente fica até assustado, não é mesmo? Assustado com a coragem deles escrevem o que escrevem.

Eu penso que o SPFC de hoje jamais iria atrás de Felipão como tanto falam por aí. O cara não tem a identidade de jogo que gosta o SPFC e seu coordenador Muricy. Nossa escola não é a do Felipão, que é de um futebol mais defensivo, a nossa é mais alegre e nosso treinador não manda bater, manda jogar bola. Isso já o afasta do Morumbis. Eu vejo o SPFC muito na direção de um treinador estrangeiro que tenha um bom nível na carreira, como foi o caso do Dorival.

Esta diretoria assumiu em janeiro de 2021 e vem aos poucos subindo o nível do elenco, da estrutura e do treinador. Mudou para melhor os patrocínios da camisa, mudou para melhor o fornecedor de material esportivo, mudou para melhor a comunicação com a torcida e bolou coisas muito bacanas, inclusive ingresso popular. Somando tudo isso, o clube é hoje líder em público pagante em seu estádio. Isso nunca havia acontecido antes salvo engano meu.

Publicidade

Quando contratou Carpini pensei na hora que era um período para a chegada de alguém com bom nome, ninguém tira isso da minha cabeça. Em janeiro havia poucas opções e a maioria delas de gente sem a cara do SPFC, como Mano Menezes e Felipão, além de Cuca. São 3 nomes super conhecidos, mas nenhum se encaixa no que vejo no Muricy e no SPFC de hoje. Tinha o Milito, mas este nunca havia conquistado uma taça na carreira de treinador e não conheço o estilo do seu jogo. Havia o Zubeldia, este sim, um treinador com algo a mostrar, como o bom futebol da LDU e as duas taças que conquistaram juntos, inclusive sobre nosso tricolor. Era o único nome bom que poderia ter vindo, mas por alguma razão que desconheço, até agora não veio.

A pressão sobre Carpini está gigante e o iniciante, sem capacidade, não conseguiu até o momento deixar sua marca, e a fritura não para de crescer. É muito fácil que perca o emprego e a dupla Muricy/Milton assumam até chegar o nome escolhido e possível. Como escreveu o Arnaldo e eu concordo e escrevo faz uns dias, Carpini só será demitido se o clube conseguir um bom nome.

Penso que se o SPFC está mesmo querendo crescer trará um nome de peso para comandar o futebol, isso na verdade é uma obrigação, já que o tricolor só ganhou taça boa com elenco e treinador de qualidade. Nossa história pede isso. Nos dias atuais o cargo de treinador de um grande clube tem que ser preenchido por nome grande, não tem para onde correr, o futebol moderno pede tática e isso só bons treinadores podem fornecer. Aliás, pensem nos nomes que vieram depois do tri brasileiro e vocês irão encontrar a razão de tantos anos sem taça.

O SPFC investiu no elenco, não vai ficar contente com treinador mais ou menos.

Salve o tricolor paulista, o clube da fé.

Carlito Sampaio Góes