Além das 4 linhas – Jerarquia

258

Paton Bauza costumava dizer, quando falava de bons reforços, que eles dariam Jerarquia ao time, ou seja, daria mais hierarquia ou qualificação, coisa importante na hora de decidir contra elencos fortes e bem treinados.

O SPFC atual é um time organizado que possibilita aos adversários poucas chances de gol. Mas também noto que é um time que cria poucas chances de gol. Com Lucas no lugar certo o desempenho do time sobe muito, mas isso torna Luciano um jogador fora de posição e com baixo rendimento. Por esta razão defendo a entrada do Rato no lado direito, deixando Lucas centralizado.

O SPFC conversa com o lateral/zagueiro Alex Sandro e conversa com o volante Tiago Mendes. Os dois são bons jogadores e chegariam para assumir a titularidade ou pelo menos jogar muitos minutos em muitas partidas. Eu ainda sonho com um parceiro a Lucas na frente. Um jogador diferenciado para revezar com Rato no lado direito do nosso ataque cairia como uma luva. O meu sonho é Di Maria, jogador acima da média que está saindo do atual clube. Como James deve sair, uma vaga de estrangeiro e de bom salário deverá ser aberta. Assim como vejo Wellington saindo.

Publicidade

Uma coisa interessante está acontecendo em paralelo à contratação do Tiago Mendes, a não utilização do Galoppo, que também é segundo volante e não conquistou espaço com o Zubeldía. Vejo Galoppo como um jogador lento e sem tanta mobilidade, assim como Luiz Gustavo, talvez seja essa a razão de ser pouco aproveitado. Eu imagino que o uruguaio Gabriel Neves tenha saído por ser também um jogador com menor mobilidade, movimentação e velocidade.

Nos últimos jogos vi um SPFC sólido atrás e que cria pouco na frente, isso me preocupa, pois as vezes a bola das poucas chances criadas não entra e o bom resultado não vem. No clássico na arena petrolão aconteceu coisa parecida, o tricolor criou pouco e fez falta. Aliás, o time sem cor ficou com 10 em campo e o SPFC agrediu pouco. Ferreira é jogador para atuar no contra-ataque, não sabe jogar sem espaço, isso está claro, mas teve pouco tempo em campo também. Pelo visto nosso treinador não é de mandar o time para frente, prefere a segurança.

O SPFC não pode mais aceitar o que fizeram com o calendário de jogos na semana passada, quando o time tricolor teve 2 dias a menos de preparação e descanso em compaaração ao adversário. Eu vendo a partida pensava que nosso tricolor estava bem tecnicamente e o adversário melhor fisicamente. A diretoria precisa trabalhar melhor estas questões fora de campo.

Salve o tricolor paulista, o clube da fé.

Carlito Sampaio Góes