Memórias Tricolor – O custo da soberba

1198

Na última edição da Coluna Memórias Tricolor, contamos um pouco da história do São Paulo, desde a fundação até se tornar o Gigante Tricolor, nesta edição vamos abordar a estrutura que o tornaram o maior do Brasil…

Resultado de imagem para morumbi clube e estadio

Um Clube que nasceu na elite, porém naufragou em ideias acima de suas condições, contando com um forte elenco, jogadores de renome como Araken Patusca e a lenda Arhur Friedenreich, o maior jogador de todos os tempos, antes de Pelé, estádio próprio, já colecionava conquistas como o Paulista de 1931, além dos 4 vices campeonatos, ou seja, se não ganhava era vice, porém o Palácio Trocadero e toda a soberba de então teve um alto custo, o sonho foi interrompido em maio de 1935, sendo apenas retomado em 16 de dezembro.

A partir de então o luxo e riqueza não seriam mais a realidade e o São Paulo Futebol Clube era um clube sem dinheiro, a situação era tão grave que em 1938 os diretores tiveram humildade de apelar aos rivais para disputarem um torneio e assim organizaram a Taça Mündell Júnior, e no dia 3 de julho Corinthians, Palmeiras e Portuguesa se unirão ao São Paulo para disputar o festival, um quadrangular em que o São Paulo perdeu para a Portuguesa e o Corinthians se sagrou campeão, três jogos no mesmo dia. O local foi o estádio do Palmeiras o Parque Antártica, e entrou para a história como o “Jogo das Barricas”.

Existe uma controversa se este torneio era para “salvar” o Tricolor da grave crise, ou se era apenas para movimentar as equipes da capital que ficaram paradas durante a Copa do Mundo que terminou duas semanas antes. O fato é que o Festival ocorreu e a renda ficou toda com o São Paulo que foi o organizador.

Em 1942 o São Paulo fez a maior contratação do futebol sul-americano, mais precisamente em abril de 1942 pelo valor de 200 contos de réis o São Paulo trouxe Leônidas da Silva que jogava no Flamengo para fazer história no Tricolor. Foi a mais cara transação até então, Leônidas chegou de trem na estação da Luz e foi carregado pelos torcedores, foi a maior receptividade de um atleta até então.

Como já contamos nesta Coluna em 1943 a “moeda caiu em pé” e a década foi Tricolor com 5 conquistas de Campeonatos Paulista. Na década de 50 o São Paulo se lançou ao grande desafio de construir o Maior Estádio Particular do Mundo e assim foi de 1952 a 1970, com a inauguração em 2 de outubro de 1960, O Estádio Cícero Pompeu de Toledo podia abrigar jogos, mas não estava pronto, as obras continuavam.

O Complexo Social

Projetado para acomodar 150 mil torcedores, o recorde de público é de 146.072 pessoas, um gigante que só perde para o Maracanã. Após a inauguração do Cícero Pompeu de Toledo o São Paulo se dedicou a construção de sua sede social, também projeto do arquiteto Villanova Artigas, ginásio para prática de basquete, vôlei, hóquei e ciclismo com capacidade para 20 mil pessoas, praça de atletismo, parque aquático com três piscinas sendo uma olímpica, arquibancadas, diversas quadras poliesportivas e campo de futebol, além de uma sede social de aproximadamente 7.500m². A inauguração ocorreu em 30 de setembro de 1962, porém outra área foi comprada em 1965.

Do projeto original diversas mudanças ocorreram, porém o complexo batizado de “Manoel Raymundo Paes de Almeida” em honra e memória a este grande são-paulino não deixa a desejar a qualquer grande clube brasileiro e sua área total de 154.520m² é um verdadeiro orgulho Tricolor.

CT da Barra Funda

Também é um orgulho são-paulino o Centro de Treinamento Frederico Antonio Germano Menzen, popularmente conhecido como CT da Barra Funda, local em que a equipe principal faz seus treinamentos e também se concentra para as partidas. Alguns jogadores de fora da cidade escolhem o local para morar e se adaptar mais rapidamente a cidade. Quando chegou ao São Paulo em 1990 Telê Santana morou no CT por muito tempo.

O terreno de 44.472m² conta com estrutura fabulosa, são mais de 120 profissionais que trabalham diariamente pela equipe, é no CT que ficam o departamento de futebol, departamento médico, assessoria de imprensa, edição de vídeos, seguranças, cozinheiros, copeiros, manutenção de campos e jardim, lavanderia. O complexo possuiu ainda acomodação para toda a comissão técnica e jogadores com um total de 20 apartamentos (suítes), salão de jogos e área para entretenimento dos atletas.

O Núcleo de Reabilitação Esportiva, Fisioterápica e Fisiológica, o REFFIS, sempre foi o mais moderno do país, tratando jogadores do São Paulo e de outras equipes como Ronaldinho antes de voltar ao Brasil e Adriano Imperador. O REFFIS sempre contou com os melhores profissionais do país e destacado como centro de excelência para recuperação de lesões no exterior.

O complexo inaugurado em 9 de abril de 1988, conta com três campos oficiais, sendo o principal nas mesmas dimensões do gramado do Estádio do Morumbi, dois mini-campos para treinamentos específicos e goleiros e um campo de “showbol” utilizado para treinos de alta intensidade e momentos de lazer dos atletas. Há também campo de areia, quadra poliesportiva e piscina para os atletas, quatro vestiários e outras áreas de apoio.

Em 2014 a seleção dos Estados Unidos escolheu o CT da Barra Funda como seu centro de treinamento em razão da estrutura e localização privilegiada na cidade de São Paulo.

CFA Cotia

Em um terreno de 220 mil metros quadrados na cidade de Cotia, Grande São Paulo, adquirido em 27 de julho de 2004, o São Paulo Futebol Clube construiu mais uma obra faraônica, o maior e mais moderno de todos os seus complexos, o Centro de Formação de Atletas Presidente Laudo Natel.

o    Área total: 230.000m²

o    208 vagas de estacionamento;

o    8 campos oficiais, sendo o principal com arquibancada para 1500 pessoas;

o    04 campos sociais;

o    08 vestiários;

o    Sistema de drenagem e irrigação computadorizada;

o    01 quadra poliesportiva;

o    01 campo de areia;

o    04 alojamentos para 110 jogadores;

o    Alojamento para 148 hóspedes (74 apartamentos);

o    04 vestiários;

o    Refeitório para 120 pessoas e cozinha industrial;

o    Sede administrativa;

o    Sala de monitoramento;

o    02 piscinas, sendo uma semiolímpica;

o    Oficina de manutenção;

o    Quiosques de lazer;

o    Podólogo;

o    Consultório médico e odontológico;

o    REFFIS – Núcleo de Reabilitação Esportiva Fisioterápica e Fisiológica;

o    02 salas de para reforço escolar e aulas de inglês para jogadores e funcionários;

o    O local também possuiu 02 lagos que propiciam maior contato com a natureza.

O CFA é um dos maiores polos sul-americanos de intercâmbio esportivo e recebe delegações de diversos esportes de todos os continentes. São lá que treinam as categorias infantil, juvenil e júnior do Tricolor. Todos os atletas da base são-paulina recebem acompanhamento não apenas esportivo, mas também pedagógico, médico e odontológico. Além disso, o Clube possui  convênios com escolas da região, garantindo o acesso dos jovens à educação e acompanhando o desempenho escolar de cada atleta, que tem à sua disposição atendimento individualizado e aulas de reforço.

Em pouco mais de década de existência, o Centro de Formação de Atletas Presidente Laudo Natel já revelou nomes de grande expressão como Breno, Hernanes, Jean e Lucas Moura, David Neres, Antony e Toró entre tantos outros, é o celeiro de craques Tricolor.

O Presente

O São Paulo Futebol Clube sempre foi um exemplo para os demais clubes do Brasil e do Mundo, exemplo de gestão administrativa, visão estratégica ousada e profissionais determinados. O departamento médico, o REFFIS, recebeu cuidou e recuperou atletas de outros clubes, seleção brasileira e até estrangeiros.

O São Paulo chegou a ser o maior Clube deste país, a Libertadores e o Mundial de 2005, seguidos do inédito Tricampeonato Brasileiro de 2006, 2007 e 2008 mostraram ao país e torcedores que o extra campo refletia dentro do gramado e as conquistas pareciam não cessar. Em 2009, logo após a eliminação da Libertadores o Presidente Juvenal Juvêncio já tomado de uma arrogância ilimitada e soberba sem fim demitiu o treinador Muricy Ramalho, que deixou o comando do time. Após passar pelo Palmeiras, em 2010 Muricy foi campeão brasileiro com o Fluminense, e disparou a um repórter que o entrevistava:

“Tem Clubes por aí pelos quais eu passei que vão demorar muito para ser Campeão novamente, anota aí.”

Nos microfones da Rádio Bandeirantes os jornalistas se perguntavam sobre qual Clube Muricy estava se referindo, se ao São Paulo ou ao Palmeiras, a resposta dura, árdua e dolorosa veio com o tempo.

O São Paulo foi Campeão, porém da Sul-Americana em 2012, um torneio menor, e desde então amarga sete anos sem qualquer conquista, e em alguns anos vexames que os torcedores Tricolores jamais imaginaram.

Infelizmente as seguidas más gestões estão envergonhando o torcedor e pior, podem dilapidar o patrimônio do Clube construído com muito suor. O ano de 2019 a gestão do atual presidente encerra com um déficit de R$ 180 milhões, enquanto alguns adversários lucraram.

Triste realidade do São Paulo Futebol Clube, neste caminho se os sócios, conselheiros e cardeais não agirem o futuro será cada vez mais pesado e veremos nossos adversários crescerem.

Este é o custo da soberba que desde a gestão de Juvenal Juvêncio se instalou no São Paulo, seguiu Carlos Miguel Aidar e continua com o atual Presidente Leco que entrará para a história como o pior presidente desde 1935.

Devolvam o nosso São Paulo Futebol Clube, Salve o Tricolor Paulista!

Chegamos ao fim de mais um ano, o 3º escrevendo esta coluna e agradeço imensamente ao Artur Couto a oportunidade. A todos os leitores um Feliz Natal de um 2020 de muita paz, saúde e prosperidade. Até o ano que vem, esperando poder contar um pouco mais a história do São Paulo Futebol Clube, O mais Querido!


Gustavo Flemming, 40 anos de amor ao SPFC, é empresário no segmento de pesquisa de mercado e consultoria em marketing.

Contato: [email protected]

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição dos proprietários da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.

1 COMENTÁRIO

  1. Infelizmente o São Paulo, não só surfou na onda da soberba, como também na da incompetência, pois deveria profissionalizado o clube há muito tempo.
    Entretanto os jurássicos conselheiros preferiram que a gestão continuasse na mão de seus pseudos capachos, para suas mazelas e interesses, como dos empresários.
    Hoje o clube virou a casa da mãe Joana.
    Viva o Leco, Pixuleco sem caneco, pior presidente da história.