Aidar demite gerente de futebol e começa reformulação no São Paulo

78

UOL – Guilherme Palenzuela

 

Site Oficial / saopaulofc.net

Gustavo (dir.) assumiu em 2013 e completaria dois anos no cargo. Política pesou

Gustavo (dir.) assumiu em 2013 e completaria dois anos no cargo. Política pesou

 

O presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, demitiu nesta quarta-feira o gerente de futebol Gustavo Vieira de Oliveira, braço-direito do vice Ataíde Gil Guerreiro e executivo de futebol do clube há quase dois anos. O UOL Esportetentou contato com Gustavo, mas não obteve sucesso. Segundo pessoas próximas ao presidente, o favorito à vaga é José Eduardo Chimello, gerente de futebol do Ituano.

Os motivos da demissão, segundo dirigentes do São Paulo, são os velhos conhecidos internamente. Desde agosto de 2014 Gustavo passava por processo de fritura no Morumbi. O presidente Carlos Miguel Aidar tirou do clube muitos daqueles que tinham ligação com Juvenal Juvêncio quando iniciou a guerra política contra o antecessor. Na alta cúpula e longe do departamento de futebol, porém, havia críticas técnicas ao trabalho do gerente. Segundo dirigentes, Gustavo não tinha domínio sobre o elenco e não conseguia dialogar com os jogadores.

A demissão de Gustavo ainda contraria a própria contratação de Osório. Partiu do gerente e de outros membros do departamento de futebol o estudo de perfil que apontou o nome de Juan Carlos Osorio para treinar o São Paulo dentro do planejamento traçado – de verticalização do profissional à base, com formação de atletas. Gustavo colheu informações sobre o colombiano e montou um dossiê sobre o técnico que, mais tarde, viria a ser o sucessor de Muricy Ramalho. Parte da diretoria do São Paulo, porém, contraria que tenha partido do futebol a indicação.

Na Colômbia, porém, Gustavo não participou das conversas e das negociações com Osorio. Aidar e Ataíde Gil Guerreiro foram a Medellín para conhecer pessoalmente o treinador, com quem conversaram. O gerente ficou alheio ao andamento do negócio.

Favorito para a vaga, Chimello seria contratado por ser um nome de confiança de Aidar. Antes, Gustavo tinha a confiança de Ataíde, mas não a do presidente. José Eduardo Chimello trabalhou no São Paulo ainda na gestão anterior de Aidar, entre 1984 e 1988.

Gustavo Vieira de Oliveira, filho do ex-meia Sócrates, durante anos prestou assessoria jurídica ao São Paulo ainda na gestão de Juvenal Juvêncio. Depois da queda do diretor de futebol Adalberto Baptista, em 2013, ele assumiu como gerente. Antes de assumir como gerente de futebol no São Paulo, Gustavo Vieira de Oliveira era sócio de escritório partilhado com José Francisco Manssur e Carlos Eduardo Ambiel. O primeiro foi assessor de Juvenal Juvêncio e hoje exerce papel de liderança na oposição política. O segundo, advogado do São Paulo por muitos anos, também foi sacado por Aidar.

A demissão de Gustavo Vieira de Oliveira atende a um plano de reformulação do departamento de futebol traçado por Carlos Miguel Aidar e publicado pelo UOL Esporte ainda no fim de março. As mudanças, no entanto, estavam condicionadas à saída de Muricy Ramalho. Nas próximas semanas o presidente deve fazer mais cortes.

Na diretoria, fala-se que um dos próximos pode ser Junior Chávare, que assumiu como executivo das categorias de base, em Cotia, no fim de 2014. O presidente Carlos Miguel Aidar cogita oferecer ao interino Milton Cruz, hoje coordenador técnico na Barra Funda, o cargo de Chávare – este foi contratado por Ataíde e Gustavo, e não tem a confiança do presidente.

4 COMENTÁRIOS