Chegada de Osorio dá início à reforma dentro do Morumbi

61

Fonte: Terra

A confirmação do comando Juan Carlos Osório já começa a causar profundas mudanças dentro do São Paulo . A chegada do colombiano promete movimentar os bastidores dentro do clube tricolor. A primeira mudança foi a saída do gerente executivo Gustavo Vieira , resta agora saber qual será o futuro de outros grandes nomes dentro do Morumbi, como o de Milton Cruz e do vice Ataíde Gil Guerreiro.

A tendência é que o São Paulo use a mudança de comando para reformular o seu departamento de futebol , muito desgastado desde o começo do ano com a fraca campanha no início da Libertadores . A dica foi dada pelo próprio Gustavo em sua despedida.

“O que eu recebi é que o São Paulo vai tomar novos rumos no futebol e eu não me vejo parte neste novo rumo”, comentou o agora ex-gerente executivo do clube.

Resta agora saber qual será o destino de Milton Cruz. No clube há mais de 20 anos, ainda não se sabe se ele vai compor a comissão técnica de Osorio. Apesar das especulações de desavenças com o presidente Carlos Miguel Aidar, Milton agradeceu o voto de confiança dado por ele no período que substituiu Muricy Ramalho.

Mesmo assim, ele já deu dicas que vislumbra um futuro longe do São Paulo, até comentando sobre a chance de um estágio no exterior. Cruz dificilmente aceitaria uma porposta do São Paulo para assumir as categorias de base caso não seja usado na nova comissão técnica. Na quarta-feira, ele comandou normalmente a atividade no CT da Barra Funda.

Osório ainda não tem data de apresentação definida no clube. Não se sabe ainda se ele será apresentado antes ou depois da partida contra o Internacional , que será disputada no próximo domingo. A chegada do novo comandante tricolor no Brasil também foi atrasada por problemas pessoais.

 

A questão com Ataíde

O vice de futebol sai fortalecido com a contratação de Osorio. Grande defensor de um técnico estrangeiro, Ataíde ganha a queda de braço com Aidar, que gostaria de Vanderlei Luxemburgo. Resta saber agora se será o suficiente para encerrar o desgaste com a presidência nos últimos meses ou se será  mais uma vítima do “novo rumo” apontado por Gustavo.