Majestoso opõe “desequilíbrios” nos trabalhos de Ceni e Carille

994
Gazeta Esportiva

 

Inspirados em escolas diferentes, Rogério Ceni e Fábio Carille se enfrentam pela primeira vez em um jogo oficial (Foto: Fernando Dantas e Djalma Vassão/Gazeta Press)
Inspirados em escolas diferentes, Rogério Ceni e Fábio Carille se enfrentam pela primeira vez em um jogo oficial (Foto: Fernando Dantas e Djalma Vassão/Gazeta Press)

O Majestoso deste domingo, no Morumbi, pela penúltima rodada do Campeonato Paulista, opõe dois estilos de praticar futebol, que são refletidos nas diferentes convicções dos treinadores de São Paulo e Corinthians. Iniciando suas carreiras como técnicos, Rogério Ceni e Fábio Carille têm mostrado tal divergência nos resultados de suas respectivas equipes neste início de temporada.

Inspirado pelos treinadores Juan Carlos Osorio, técnico do São Paulo em 2015, e Jorge Sampaoli, com quem estagiou no ano passado, Ceni adotou métodos de treinos inovadores – conforme relato dos próprios jogadores – para adequar sua equipe ao que há de mais moderno no futebol.

Com apenas 16 jogos no currículo, o ex-goleiro vem reproduzindo no Tricolor o que mais ambiciona no futebol: a ofensividade. Passadas 10 rodadas, o São Paulo ostenta o melhor ataque do Campeonato Paulista, com 23 gols, e é o segundo time com mais finalizações certas (61), ficando atrás somente do Novorizontino (64).

Publicidade

Por outro lado, Rogério Ceni ainda não conseguiu encontrar um equilíbrio para a equipe, que tem no sistema defensivo o seu “calcanhar de Aquiles”. Vulnerável, a zaga tricolor já sofreu 19 gols no Estadual e só não é pior que a do Linense, que já foi vazada 22 vezes.

“O Rogério Ceni está com dificuldades diferentes das minhas aqui”, analisou Carille, que já pôde encarar o adversário durante a pré-temporada, na Copa Flórida, em duelo que terminou empatado sem gols, com vitória são-paulina na disputa por pênaltis.

“A parte ofensiva dele está bem resolvida e está sofrendo com a defensiva. A gente é ao contrário, estamos bem na defesa e buscando melhora no ataque. Os dois são os elencos que mais mudaram entre os grandes, então tem que ter inteligência e sabedoria para conseguir se estabelecer o quanto antes”, avaliou o corintiano.

Até o momento, Carille pode ao menos dizer que ostenta um histórico um pouco melhor do que o adversário, com 8 vitórias, quatro empates e apenas duas derrotas, um aproveitamento de 66% dos pontos disputados contra 63% do adversário deste final de semana.

45 COMENTÁRIOS

  1. E falha do R. Caio do gol adversário. É brincadeira o cara sair da marcação do centroavante pra tentar antever a jogada e cortar cruzamento. Zagueiro e goleiro não tem que tentar adivinhar a jogada, tem que ir onde a bola está!!!

    Esse time é a base do vexame de 2015, querem ganhar o que com esses lixos??????

    É só tirar Pratto e Cueva que o time morre. Não temos elenco, só temos titulares.

    Esse ano não vamos ganhar nada com esse futebol medíocre que RC começou muito bem e já se transformou em qualquer outro treinador.

    Time reserva pra meio de tabela!!!

  2. Clássico, SPFC X Escória…e não tem “Comente Aqui” para esculacharmos as presepadas em campo.
    Lamentável esse site.
    Existe algum outro lugar na internet onde se pode assistir ao jogo e xingar todo mundo, indistintamente, com as palavras ofensivas e infames que esses ordinários merecem – uma verdadeira terra de ninguém, como deve ser?