Com gol “espírita”, Palmeiras arranca empate do São Paulo, mas vê vantagem diminuir

208

GloboEsporte.com

Tricolor abre o placar com Pablo (que volta a se machucar), cria chances, mas toma empate em lance bizarro – chute de Dudu sobe muito, bate no travessão, volta em Volpi e entra. Verdão segue invicto, agora com três pontos para o Santos.

Empate cai do céu para o Verdão

Com time misto, poupando para a Copa do Brasil, o Palmeiras arrancou ótimo empate do São Paulo no Morumbi, na noite deste sábado, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Tricolor abriu o placar com Pablo (que voltou a se machucar), criou chances para ampliar, mas tomou empate em lance bizarro – Dudu chutou, a bola desviou em Reinaldo, subiu muito, bateu no travessão, voltou em Volpi e entrou. O gol foi tão estranho que Cuca o chamou de “espírita”, mas a torcida do Palmeiras viu semelhança com outros gols de cobertura, enchendo as redes sociais de memes.

Com o resultado de 1 a 1, o Palmeiras segue invicto no Brasileirão (já são 33 jogos sem derrotas na competição, incluindo todo o segundo turno do torneio do ano passado), mas agora com “apenas” três pontos de frente para o segundo colocado, o Santos (26 a 23 pontos). Já o São Paulo segue no meio da tabela, com 15.

Veja os melhores momentos de São Paulo 1 x 1 Palmeiras

Entrevistas pós-jogo

Felipão e Cuca se cumprimentam antes de São Paulo x Palmeiras
  • Felipão e Cuca se cumprimentam antes de São Paulo x Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli)
  • Vale destacarEste foi apenas o segundo jogo em que o Palmeiras perdeu pontos no Brasileirão – o primeiro havia sido no empate em 1 a 1 com o CSA, em Maceió. Duas coisas em comum nessas partidas: em ambas, o Palmeiras jogou com time misto (ou seja, não perde nem com reservas) e teve mais posse de bola do que o adversário. Nas oito vitórias até agora no Brasileirão, o Palmeiras só teve mais posse do que o adversário em uma delas (contra o lanterna Avaí, em casa).
Dudu comemora em São Paulo x Palmeiras

Vale destacar também…

O São Paulo segue sem vitórias em clássicos no ano. Agora são nove jogos contra os grandes rivais, com cinco derrotas e quatro empates.

São Paulo x Palmeiras - Alexandre Pato

Cenas lamentáveis

Já nos acréscimos, houve uma grande confusão entre os jogadores dos dois times. Raniel entendeu que Deyverson estava provocando o São Paulo e foi tirar satisfações. Foi o estopim para que o tempo fechasse. Vale destacar que, antes do jogo, as duas equipes chegaram juntas ao Morumbi, em sinal claro de confraternização.

Atuações

São Paulo x Palmeiras - Antony e Diogo Barbosa

Como o São Paulo jogou

Pela primeira vez o Tricolor teve o “ataque APP”, com Antony, Pablo e Pato. Dos três, a maior expectativa recaía sobre Pablo, que não jogava desde o Campeonato Paulista e fez sua primeira partida com a camisa 9 (chegou ao clube com a 12, porque a 9 era de Diego Souza). E foi justamente no minuto 9 que Pablo deixou sua marca, completando cruzamento rasteiro de Hernanes. No primeiro tempo, o time de Cuca mostrou evolução no período de pausa do Brasileirão para a Copa América. Meio-campo (com Luan, Tchê Tchê e Hernanes) e ataque (“APP”) demonstraram muita mobilidade e dificularam a saída de bola do Palmeiras, que pouco produziu na etapa inicial. O problema foi a lesão de Pablo, no fim do primeiro tempo. Raniel entrou no intervalo e perdeu grande chance logo na primeira jogada. Por ser mais “centroavante” (ou seja, ter menos mobilidade que Pablo), Raniel teve dificuldade para se encaixar no time. Aos poucos, o Tricolor foi perdendo ímpeto, e o gol de empate, “achado” pelo Palmeiras, foi um balde d’água fria no time, que não conseguiu se reencontrar em campo.

Pablo fez gol aos 9 e se machucou aos 40 minutos em São Paulo x Palmeiras

Como o Palmeiras jogou

Na escalação inicial, Felipão poupou cinco titulares: Luan, Gustavo Gómez, Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima – ou seja, a dupla de zaga e o trio de meio-campo. Desses cinco, só Bruno Henrique e Gómez ficaram no banco. O motivo de tamanha cautela é o jogo da volta das quartas de final da Copa do Brasil contra o Inter, quarta-feira, em Porto Alegre (na ida, o Palmeiras venceu por 1 a 0). Sem esses cinco titulares, o Verdão começou acuado, com problemas principalmente na saída de bola, e assustado pela pressão e movimentação apresentadas pelo rival. Levou o gol aos 9 minutos e demorou pelo menos outros 20 até entrar no jogo de fato. O setor de meio-campo deixava a desejar, mas a bronca maior de Felipão à beira do campo era com Deyverson – o técnico queria o atacante mais enfiado na área, sem cair pelos lados ou voltar para ajudar na armação. No geral, o Palmeiras teve muito mais posse de bola (58%, coisa rara) e aparentou não saber o que fazer com ela. Acabou dando sorte (de campeão?) ao “achar” um gol num chute despretensioso de Dudu, que contou com imensa colaboração de Tiago Volpi. No final, mostrou-se mais perto do segundo gol do que o rival. Ótimo resultado!

Dudu comemora gol em São Paulo x Palmeiras

Mais drama para Pablo

Depois de 105 dias sem jogar, afastado por conta de uma lesão na região lombar, Pablo voltou e marcou, aos 9 minutos. Mas chocou a todos aos 40, numa queda feia após disputa no alto com Thiago Santos. Pablo caiu sobre sua perna direita, que dobrou com o impacto. O atacante tentou voltar a campo, mas, mancando muito, foi substituído pelo estreante Raniel. Pablo, agora, será submetido a exames para detectar o grau da lesão.

VAR corrige erro do juiz

O VAR entrou em ação no primeiro tempo de São Paulo x Palmeiras e evitou a aplicação de um cartão amarelo errado. Aos 22 minutos do primeiro tempo, Moisés, do Palmeiras, fez uma falta dura em Hudson, do São Paulo. O árbitro Bruno Arleu de Araújo, porém, aplicou o cartão amarelo a Zé Rafael, que estava próximo da jogada. O curioso é que Zé Rafael mal reclamou da advertência. Pouco depois, Bruno Arleu de Araújo foi alertado pelo árbitro de vídeo – em cerca de dois minutos, a nova decisão foi tomada, e o cartão amarelo dado a Moisés, o real responsável pela falta.

O que vem por aí

O Palmeiras volta a jogar na quarta-feira, contra o Inter, pela partida de volta das quartas de final da Copa do Brasil. Pelo Brasileirão, o próximo jogo do Verdão será no sábado, contra o Ceará, em Fortaleza. Já o São Paulo terá um bom tempo de descanso: só volta a jogar na outra segunda-feira (22), contra a Chapecoense, no Morumbi, pelo Brasileiro. 

Como foi o jogo

Primeiro tempo

São Paulo e Palmeiras começaram o jogo em rotações bem diferentes. Mais leve e com Tchê Tchê adiantado, o Tricolor quase sempre mostrou vantagem nos lances de ataque – a presença do volante perto da área fez a marcação alviverde se perder, deixando jogadores livres perto da área. Logo aos 9 minutos, Pablo recebeu cruzamento rasteiro de Hernanes e se antecipou a Antônio Carlos para abrir o placar. O Palmeiras, mesmo com cinco mudanças no time e um rendimento abaixo da média, passou a equilibrar as ações aos poucos – sua melhor chance foi num chute de Gustavo Scarpa que exigiu grande defesa de Tiago Volpi. O árbitro Bruno Arleu de Araújo controlou bem o jogo com cartões – apesar de ter sido corrigido pelo VAR num cartão amarelo que acabou dado a Moisés. Pablo, que fez seu primeiro gol no Morumbi, inspirou preocupação por causa de um problema no joelho após uma queda.

São Paulo x Palmeiras - Alexandre Pato chuta, observado por Marcos Rocha

Segundo tempo

Raniel substituiu o lesionado Pablo e teve grande chance para ampliar o placar logo em seu primeiro lance, mas parou em Weverton. Aos poucos, o São Paulo foi diminuindo o ímpeto, e o Palmeiras cresceu no jogo. Volpi apareceu bem para defender uma finalização de Deyverson à queima-roupa, mas falhou feio no “gol achado” por Dudu. Já com Igor Gomes no lugar de Hernanes, o São Paulo tentou um último respiro no fim. Mas o Palmeiras, feliz com o empate, soube cozinhar bem o jogo para manter sua incrível invencibilidade: já são 33 partidas sem perder pelo Brasileirão, incluindo todo o returno do torneio do ano passado.

Volpi é pressionado por Deyverson em São Paulo x Palmeiras