Análise: São Paulo não repete brilho coletivo e perde a chance de dividir a liderança do Brasileirão

89

GloboEsporte

Eduardo Rodrigues

Tricolor tropeça contra o Vasco, dentro de casa, em tarde pouco inspirada.

O São Paulo que entrou em campo neste domingo, no empate por 1 a 1 com o Vasco, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro, foi completamente diferente daquele visto na última quarta-feira, que eliminou o Flamengo na Copa do Brasil.

Publicidade

Se na competição mata-mata o São Paulo se mostrou um time aguerrido, com fome de gol e de um jogo propositivo, no confronto pelo Brasileirão o time não conseguiu repetir o brilho dos últimos duelos e tropeçou dentro de casa.

Após sair atrás no placar em um vacilo da zaga, a equipe comandada por Fernando Diniz foi obrigada a se lançar ao ataque. Mas, diante de um Vasco completamente fechado, as coisas se complicaram e o jogo coletivo, tantas vezes fundamental na temporada do Tricolor, não apareceu.

O gol de empate ainda no primeiro tempo, com Luciano, deu a esperança ao torcedor de que no segundo tempo voltaria um São Paulo avassalador. Até porque, até a partida deste domingo, 75% dos jogos do Tricolor no Brasileirão e na Copa do Brasil foram decididos na etapa final.

Brenner, do São Paulo, em partida contra o Vasco — Foto: Marcos Ribolli

Brenner, do São Paulo, em partida contra o Vasco — Foto: Marcos Ribolli

Mas o que realmente se viu foi um São Paulo com erros de passes no meio de campo, em atuações apagadas e ruins de Daniel Alves e Igor Gomes, pouca profundidade dos laterais e erros individuais de Brenner, que não costuma desperdiçar chances como a que perdeu no primeiro minuto do segundo tempo, cara a cara com Lucão.

Sem conseguir furar o bloqueio defensivo do Vasco, o desespero começou a bater na equipe de Diniz. Com um time totalmente ofensivo, o São Paulo passou a errar tabelas e insistir em cruzamentos para a área, facilitando a marcação vascaína.

O time, inclusive, tem mostrado dificuldades contra equipes que atuam fechadas no campo defensivo. Contra o Goiás, no Morumbi, por exemplo, a virada vei após muito insistir. Contra o Coritiba, fora de casa, porém, também parou no empate.

– Jogar contra linhas mais baixas para qualquer equipe é difícil, jogar contra um adversário que marca muito atrás. Não é só o São Paulo. Mas acho que o São Paulo conseguiu ter resultados importantes contra time que jogam mais atrás e mais abaixo na tabela. A gente tem jogo para furar as defesas mais retrancadas, mas hoje a gente estava em um dia que não tinha muito inspiração – afirmou Fernando Diniz.

Fernando Diniz São Paulo Vasco — Foto: Marcos Ribolli

Fernando Diniz São Paulo Vasco — Foto: Marcos Ribolli

A falta de inspiração custou dois pontos importantes ao São Paulo na briga pelo título do Campeonato Brasileiro. Caso não deixasse esses pontos escaparem, agora o Tricolor estaria dividindo a liderança com Atlético-MG e Flamengo, ambos com 39 pontos.

Mesmo diante da frustração pelo empate contra um time que briga contra o rebaixamento, ainda há o alento do São Paulo ter três jogos a menos no Brasileirão em relação ao seus rivais diretos.

Na próxima quarta-feira, diante do Ceará, no Castelão, o Tricolor tem a chance de aproveitar os jogos atrasados para despontar de uma vez como um dos favoritos ao título da competição.

Leia também