James Rodríguez pode trocar São Paulo pelo Boca? Dirigente responde sobre interesse: ‘Quem não gostaria?’

195

Sem ser utilizado pelo técnico Luis Zubeldía no São Paulo desde o dia 29 de abril, o meia-atacante James Rodríguez tem tido cada vez menos espaço no Tricolor do Morumbi, o que faz com que o colombiano possa dar adeus ao atual clube neste próximo mercado de transferências do meio do ano.

Um dos clubes especulados como possível destino de James é o Boca Juniors, algo que gerou empolgação em parte da torcida xeneize nas redes sociais. O boato a respeito da suposta transferência do colombiano chegou até mesmo em Chicho Serna, membro do departamento de futebol dos “bosteros”.

Em entrevista ao programa VBar Caracol, da Rádio Caracol, da Colômbia, o cartola falou a respeito do possível avanço do Boca por James Rodríguez.

“Quem não gostaria de ter James Rodríguez em seu time? Há muitos rumores aqui, principalmente com a aproximação do mercado”, iniciou.

Publicidade

“Vi nas redes que o nome de James apareceu. Ele é um jogador de classe mundial. Ele joga e brilha. Mas daí até tê-lo há um longo caminho para dizer ‘vamos pelo James’, mas nem para dizer que não estamos interessados”.

O cartola explicou ainda que, neste momento, a contratação do meia não é avaliada internamente e que não é fácil tirar um atleta do futebol brasileiro.

“Repito, hoje surgiram notícias, mas dizer que nós, no Comité ou no Conselho, analisamos uma possibilidade, não. Não estamos contemplando isso, mas não porque não estejamos interessados, mas porque acho que James é um grande jogador de futebol e estando no Brasil não é fácil trazê-lo porque a competição é muito forte”, finalizou.

No último dia 9 de maio, Julio Casares, em entrevista à ESPN, falou a respeito do futuro de James Rodríguez, mas deixou em aberto um suposto adeus do colombiano neste meio de ano. As partes têm vínculo até a metade de 2025.

“James não está jogando ou sendo escalado, mas a vinda dele já ajudou o São Paulo. A chegada dele colocou o São Paulo num patamar de competitividade esportiva, veio o Lucas junto. São Paulo passou a ser protagonista de grandes contratações”, disse Casares, para completar.

“O jogador às vezes não se adequa dentro do campo por questão física ou de escolha técnica. Se o James tiver o caminho de saída, será natural como foi o caminho de chegada. Eu me lembro que em 1985 veio o Falcão, que não assumiu a titularidade. Ele cumpriu um papel importante e poderá ainda cumprir. Deixamos para o técnico e comissão técnica decidir”, concluiu.

ESPN