São Paulo dará suporte jurídico a atletas citados em relatório que quiserem processar Textor

217

O São Paulo não medirá esforços para apoiar seus jogadores citados no relatório da empresa Good Game, contratada por John Textor, proprietário da SAF do Botafogo, para tentar provar as supostas manipulações de resultados a favor do Palmeiras em jogos do Campeonato Brasileiro do ano passado.

A empresa identificou comportamentos tidos como anormais dos atletas do clube tricolor em jogadas que resultaram nos gols do Verdão na vitória por 5 a 0 sobre o rival, no Allianz Parque.

Na tarde desta segunda-feira (10), antes de apresentar um novo patrocinador do Tricolor no Morumbis, o presidente do clube, Julio Casares, afirmou que o departamento jurídico ficará à disposição destes atletas, caso eles queiram entrar com um processo contra Textor de maneira individual. Caberá a cada jogador decidir se irá ingressar na Justiça.

Casares também disse que o São Paulo tomou medidas nas esferas cível e criminal e citou a denúncia de Textor como “caluniosa”.

Publicidade

“Nós não conhecemos esse relatório ainda. Pelo o que vimos em reportagens, é algo extremamente grave. Você fazer uma ilação por uma atuação subjetiva, um juízo de valor, é grave. O São Paulo já tomou medidas nas áreas cível, de preservação de direitos na área esportiva, no STJD, e na área criminal, uma interpelação onde pedimos a comprovação disso tudo. Estamos deixando nosso corpo jurídico à disposição dos atletas. Aqueles que queiram fazer queixas do lado pessoal não vão ter preocupação jurídica, e o São Paulo será um indutor disso”, revelou o presidente.

“É um mau exemplo, que atrapalha o produto do futebol. As denúncias são importantes quando ocorrem com responsabilidade. E não foi responsável. Nunca imaginei que eu fosse sentar em uma CPI e olhar no telão as imagens de um jogo que podem sugerir que um jogador nosso, em uma partida de rivalidade, como é contra o Palmeiras, poderia ter atuação de ‘corpo mole’, como foi colocado. Isso é grave. É um momento triste do futebol, esperamos que a CPI apure e puna essa denúncia caluniosa, se ela for comprovada como caluniosa, como parece ser”, acrescentou.

Segundo o relatório da Good Game, Beraldo, Diego Costa, Caio Paulista, Gabriel Neves, Michel Araújo, Rafinha e Rafael teriam tido posturas negligentes nos lances dos gols marcados pelo Palmeiras no Choque-Rei, disputado no Allianz Parque.

A suspeita de John Textor começou com a perda do título brasileiro para o Alviverde nas últimas rodadas da competição. O proprietário do Botafogo também acusa a arbitragem da partida entre Palmeiras e Vasco por ter anulado, de acordo com ele, o primeiro gol do time carioca de maneira “equivocada”.

O São Paulo já havia se manifestado sobre o tema anteriormente por meio de uma nota oficial e refutou as acusações, além de pedir punição aos “irresponsáveis autores” da denúncia.

O clube terminou o comunicado da seguinte forma: “Por fim, o São Paulo espera que o Botafogo, um clube protagonista na história do esporte, resolva as suas diferenças e cure feridas esportivas dentro de campo”.

ESPN