Além das 4 linhas – Má gestão

92

Má gestão

Quando Ataíde assumiu o futebol do SPFC no início da gestão de Carlos Aidar ele nunca havia trabalhado com futebol, segundo ele mesmo declarou. Eu não quero sacrifica­lo, mas isso para mim não podia dar coisa boa: O clube nomeia para comandar o futebol uma pessoa que nunca trabalhou com futebol!!! Como assim?

A experiência é importante em qualquer setor de atividade. A culpa não foi dele. A culpa foi de quem o colocou na função. Agora vem o Ataíde dizer numa entrevista que errou ao aceitar o cargo. Mas foram praticamente dois anos para ele descobrir isso!!!

Por isso escrevi a coluna da semana passada e a de hoje falando do mesmo assunto: Má gestão, o real problema do nosso clube. O Pres. Leco disse esta semana que com falta de boa vontade e muito trabalho o SPFC não vai ficar. Mas não é isso! O que precisamos é de competência, gente qualificada. Eu fico desanimado, falando sério.

Mudando de assunto, a cada ano que passa os clubes grandes vão tendo menor vantagem sobre os pequenos no Paulistinha, neste ano são até 22.03, 31 paridas com 17 vitórias dos grandes. Eu vejo como principais motivos o desinteresse pelo campeonato e a queda de nível técnico do futebol dos grandes clubes. Explicando: Como os grandes do nosso futebol são cada vez menores, pois vendem ou perdem seus melhores jogadores cada vez mais rapidamente, a diferença técnica para os pequenos é cada vez menor.

A economia do Brasil não cresce como vem crescendo a economia de outros países e isso faz com que nossos clubes não possam pagar os salários que estes países podem pagar. A China é só o mais novo exemplo. O México pode pagar mais do que aqui. O Japão também e a Europa toda já faz tempo. E assim vamos ficando pobres e pequenos. Uma pena.

Some­se a isso o amadorismo dos nossos dirigentes e encontramos os motivos de termos times tão fracos no Brasil de hoje. Quando penso nos times que os clubes tinham nos anos 80 e 90 tenho sonhos de saudade. Ainda bem que vi o SPFC nestas duas décadas. Foram timaços. O do Clilinho dos anos 80 era simplesmente maravilhoso de assistir, com meus 22 anos estava na final do Paulista de 1985. Fora o time do Telê, que foi fantástico!

Ter 52 anos não é de todo ruim, pelo menos para o futebol.

Saudações tricolores.

Carlito Sampaio Góes

 

carlito150x150

 

Carlito é advogado, trabalha como representante comercial, frequenta o Morumbi desde 1977 e prefere o time que vence ao time que joga bonito. Escreve nesse espaço todas as quintas-feiras.

ATENÇÃO: O conteúdo dessa coluna é de total responsabilidade de seu autor, sendo que as opiniões expressadas não representam necessariamente a posição da SPNet ou de sua equipe de colaboradores.

1 COMENTÁRIO

  1. É muito claro que nosso problema é de gestão. A maioria de nossos jogadores não seriam titulares nem em clube de médio porte. Quem contratou? Após a vergonha derrota por seis gols para a gambazada o que foi feito? Por que ainda não nos desfizemos das “batatas podres”? São questões que nós torcedores merecemos respostas.