Terças Tricolores – Os pilares do momento Tricolor

1267

Não há motivos para reclamar desse elenco. Ele sendo campeão ou não, a raça, a gana e a vontade de vencer voltaram aos jogos do São Paulo. É muito gostoso e prazeroso ver a dedicação que esses jogadores estão demonstrando em campo.

Depois de muitos anos de futebol mais ou menos, conseguimos reunir três pontos importantes que, no longo prazo, costuma dar bons resultados. São eles:

Uma diretoria competente: A formação composta por Ricardo Rocha, Raí e Lugano se mostrou um grande acerto do São Paulo. É inegável que, quando o Raí chegou, tínhamos o medo de que ele servisse apenas de escudo para o Leco, assim como foi com o Ceni.

Apesar desse medo ainda persistir e eu não desacreditar totalmente das intenções do presidente, a competência do Raí se sobressaiu. Foi ele quem apostou em Diego Souza, Anderson Martins, Everton, Nenê e conseguiu trazer o Everton Felipe. Também foi ele quem cobrou o quanto deu o Cueva e o vendeu assim que percebeu o quão nocivo o peruano era.

A chegada de Ricardo Rocha e de Lugano, o responsável por indicar Aguirre ao comando técnico do Tricolor, completaram a lacuna de uma diretoria que realmente entende de futebol. O bom trabalho desses três diretores passou a ofuscar o Leco que, se vocês repararem, desapareceu da mídia.

Um elenco que abraçou a causa: Claro que existem pontos em que o nosso elenco poderia ser melhor. Eu teria mais um lateral direito, mais um esquerdo e um bom reserva para o Nenê, tendo em vista que o Campeonato Brasileiro é longo e precisaremos de um bom elenco. Não gosto também do Sidão e acho o Jean fraco, mas é inegável que esse elenco está fechado.

Os vídeos de bastidores, boletins de treinos, entrevistas dadas a portais de jornalismo esportivo e as manifestações dos jogadores mostram o quanto eles estão felizes no São Paulo e o quanto eles estão correndo um pelo outro, se doando um pelo outro e estão com o objetivo de ganhar.

Eles podem não ser os campeões desse ano. Pode ser que fiquem só com a vaga na Libertadores, mas também é inegável que há o embrião de um time vencedor nesse São Paulo de hoje. E esse sentimento, esse tipo de atitude, forma time campeão. Era isso que faltava ao SPFC.

Um técnico que conhece de futebol: Me iludi com Dorival Jr e esperava mais de Rogério Ceni, isso só para citar os dois últimos comandantes do São Paulo. A chegada de Aguirre, tendo em vista a desconfiança gerada pelos dois últimos treinadores, foi tratada com surpresa e com um sentimento de que teríamos mais do mesmo.

As duas eliminações na sequência, Corinthians e Atlético Paranaense, foram traumáticas e desmotivaram parte da torcida. Não a culpo. Mas o jogo virou e o Aguirre mostrou que entende de futebol. Com seu discurso calmo, de jogar jogo a jogo, e de buscar os resultados aos poucos o time foi se encaixando. Hoje, com muita objetividade e raça, o time vai ganhando corpo e pontuando de maneira bastante convincente.

Ao mesmo tempo em que faz uma boa campanha, o Aguirre mantém os pés no chão, não se colocando como favorito e acalmando os ânimos de todos ao seu redor. Trata-se de um comandante que sabe o que faz e que, muitas vezes, surpreende a própria torcida com suas substituições, como foi o caso do jogo contra o Vasco, quando sacou DS e Nenê para colocar Trellez e Carneiro.

Também é um trabalho que dará frutos a longo prazo e, por incrível que pareça, já estamos colhendo alguma coisa. Mérito todo dele, principalmente por conseguir passar a gana uruguaia aos jogadores.

Que o São Paulo continue assim e que a empolgação domine apenas os torcedores. Falta mais de um turno ainda e não ganhamos nada.

FORÇA, SÃO PAULO!

Comentários ou reclamações?

@Abroliveira ou [email protected]

Abrahão de Oliveira é jornalista, formado pela Universidade Metodista de São Paulo, dono da @spinfoco e são-paulino desde que se conhece por gente. 

1 COMENTÁRIO

  1. E pensar que tinha Zé roela criticando e tirando sarro dos “aposentados” na direção do clube…
    Aqui não é igual certo timinho da marginal que pra ser ídolo basta ser vida loka não. Os caras estudam também.
    Pena que o Leonardo deve ganhar fortunas lá na Europa, senão poderia ajudar também.