Vento Sul – Em dias ruins, tudo que precisamos é de reflexão

567

Quando algo não vai bem, é necessário que façamos uma reflexão, até um momento de reclusão, se for preciso, para avaliarmos a situação sob uma ótica diferente. Passar por um período de desligamento e desintoxicação e aprender a tirar lições dos erros cometidos é uma das formas mais eficientes (e, às vezes duras) de amadurecer, aprender, organizar as ideias e retomar as rédeas daquilo que não ia bem.

Amigo leitor, estive ausente para que pudesse, justamente, organizar minha vida, refletir sobre erros, perdas e, principalmente, aprender como lidar com as dores e impactos destas perdas e erros na minha vida. Poucos ditados são tão certeiros quanto “na vida, se você não aprender pelo amor, aprenderá pela dor”. Certas atitudes ou omissões podem causar impactos que mudam a sua vida e sua história para sempre. Mas, com toda a certeza do mundo, lhes afirmo que a gente aprende, ô se aprende.

Na minha humilde opinião, é isso que falta para o nosso tricolor. A apatia que abate a equipe é algo digno de pena e o  que nos tornamos, atualmente, está criando uma mancha na história tão linda do São Paulo Futebol Clube. Sofremos para conseguir a classificação no paulista, perdemos o respeito entre as demais equipes, somos considerados zebra em, praticamente, todas as competições que participamos e não conseguimos triunfar em um clássico sequer.

Penso que essa diretoria só aprenderá pela dor, quando formos rebaixados, talvez. Estamos indo ladeira abaixo, o barco está afundando e ninguém faz nada!! A situação beira o absurdo, é indescritível a sensação de impotência que nós, torcedores, sentimos lendo cada notícia, a cada novo episódio dessa novela mexicana sem fim que virou essa nossa “fase” que já dura anos.

Sigo na esperança de que alguém acorde à tempo de fazer algo para mudar o que for preciso, para que saiamos logo dessa má fase e voltemos aos dias de glória. É preciso muita luta para triunfar, mas enquanto permanecermos inertes, só trilharemos um caminho: o fundo do poço.

Espero que esse meu desabafo seja compreendido e compartilhado pela nação tricolor. Não há desgosto maior do que assistir, sem poder fazer nada, nosso time se acabando. Enquanto isso, o alto escalão da diretoria bebe o melhor whisky e fuma o charuto mais caro, pois, para eles, futebol se resume à valores e números estratosféricos. Que triste fim para aquele que já foi um dos maiores e mais prestigiados times de futebol do mundo.

Fico no aguardo de novos tempos, de mudanças significativas. Mas, até lá, só Deus sabe o tanto de sofrimento que ainda temos reservado para esse 2019. Hoje a coluna foi curta, mas completamente  escrita com o coração. E para acalmar os mais ansiosos, sim, eu voltei definitivamente, meu tempo de reflexão me ajudou a amadurecer, não ficarei mais tanto tempo longe das minhas paixões: escrita e SPFC.

Sigam firmes, tricolores. Precisaremos de muita força e paciência, ainda.

Gostou ou quer mandar alguma sugestão?

@morganakoenig ou [email protected]

Morgana Koenig é advogada, catarinense, praticante de artes marciais, ama escrever e é completamente apaixonada pelo São Paulo Futebol Clube.